O Athletico já tem um novo técnico interino após a saída de Tiago Nunes, na tarde desta terça (5). Eduardo Barros irá comandar juntamente com Rogério Correa, técnico do sub-19, o time nas próximas partidas do Brasileirão, iniciando o trabalho já contra o Cruzeiro nesta quarta (6), às 21h30, na Arena da Baixada.

Eduardo Barros veio para o Furacão como auxiliar técnico de Fernando Diniz. Após a demissão do treinador, Barros continuou no Clube como coordenador metodológico das categorias de base e como coordenador técnico do profissional. Em março, o profissional assumiu a categoria sub-19 e desde junho era o Gestor de Desenvolvimento Técnico-Metodológico de todas as categorias do Furacão.

O profissional ficará na beira do campo por ter a Licença “A” da CBF, obrigatória para todos os treinadores da primeira divisão. Rogério Correa, zagueiro campeão brasileiro em 2001 e que comandava a equipe sub-19 nos últimos meses, irá auxiliá-lo. Correa só tem a licença “B” e não pode dirigir oficialmente o time.



O Athletico Paranaense visitou na noite de ontem, quinta-feira (10), o Corinthians em partida válida pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2019. O empate pelo placar de 2×2, gols de Léo Cittadini e Erick pelo Furacão e de Gil e Mauro Boselli pelo time paulista, rendeu ao rubro-negro paranaense um ponto em um estádio que costuma receber de forma hostil as equipes visitantes.

Independentemente dos erros cometidos nas jogadas de bola parada que renderam os 2 gols do Corinthians, há algo de positivo a se destacar sobre o Furacão no confronto de ontem: a equipe continua competindo e em altíssimo nível.

Muito foi dito e escrito na mídia especializada sobre este final de 2019 do Athletico, que bastaria ao clube garantir os 45 pontos que teoricamente eliminariam o risco de rebaixamento e a partir daí o clube estaria virtualmente de férias até a próxima temporada.

Entretanto, muito se enganam aqueles que pensam dessa forma. O sucesso de 2020 em muitos aspectos depende e muito daquilo que se fará até o final de 2019. Para esclarecer essa afirmação, é importante destacar pelo menos 3 pontos fundamentais.

Primeiramente, o aspecto financeiro. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) paga uma premiação em dinheiro aos clubes pelo seu desempenho no campeonato nacional. Quanto mais alta a posição alcançada pelo clube na tabela de classificação, maior será o valor que chegará aos cofres do Furacão ao final do temporada a título de bonificação por desempenho.

Da mesma forma, uma parcela dos valores referentes aos direitos de transmissão também é dividida de maneira e premiar a performance nos clubes no torneio.

Logo, melhores resultados significarão mais dinheiro em caixa para o clube no próximo mercado de transferências. Consequentemente, mais dinheiro em caixa pode significar melhores jogadores chegando para somar qualidades ao já bastante qualificado elenco rubro-negro. E melhores jogadores aumentam também as chances do clube de conquistar novos títulos em 2020.

Um segundo aspecto é ser considerado é o técnico. Somente enfrentando com seriedade todos os adversários até o fim da temporada é que será possível avaliar com precisão e decidir com uma maior possibilidade de acerto as questões relativas à formação do elenco para 2020.

É preciso decidir quais jogadores pertencentes ao clube ficam para 2020, quais podem ser emprestados para que possam desenvolver seu potencial em outras equipes e quais devem ser dispensados. Será importante também avaliar quais dos jogadores emprestados por outros clubes merecem ter o empréstimo prorrogado ou serem adquiridos em definitivo pelo Athletico.

Há também os jovens jogadores do elenco do Furacão. Nomes como Khellven, Lucas Halter, Abner Vinícius, Erick e Vitinho, por exemplo. A reta final da temporada 2019 é o momento ideal para dar minutos e permitir que os jovens talentos rubro-negros adquiram experiência entre os profissionais em jogos competitivos.

Naturalmente, isso não poderia acontecer ao custo da competitividade da equipe. Entretanto, seria perfeitamente possível dar oportunidades em cada partida a um ou mais desses jogadores conforme o nível de exigência dos adversários.

Por fim, um último aspecto fundamental a ser destacado e que tem sido muito pouco lembrado é o da manutenção da competitividade. Competir no mais alto nível exige tenacidade, concentração e desempenho contínuos. Esse nível de competitividade não pode simplesmente ser desligado e religado a qualquer momento.

Não faltam no futebol nacional exemplos de fracassos e vexames históricos protagonizados por equipes campeãs que relaxaram e deixaram de competir após a conquista de um ou mais títulos.

Basta relembrar as vexatórias eliminações sofridas por Internacional e Atlético Mineiro para Mazembe e para Raja Casablanca, respectivamente, nas edições de 2010 e 2013 do Mundial de Clubes da FIFA ou o rebaixamento do Palmeiras em 2012 após a conquista da Copa do Brasil.

Aqueles que querem estar entre os maiores em qualquer esporte deve competir muito e sempre, não há qualquer espaço para o relaxamento quando o objetivo é o atingir o topo. Essa não é a hora de se deitar sobre as glórias alcançadas, é hora de arregaçar as mangas e trabalhar duro como se nada houvesse sido conquistado e não houvesse nada garantido para 2020.

A torcida ainda espera muito do Athletico, e em 2019. Sabe-se que o título brasileiro é impossível na atual situação, mas a fanática torcida rubro-negra quer o Furacão na posição mais alta possível ao término do competição.

 

 

Corinthians e Athletico-PR ficaram no empate por 2 a 2 na noite desta quinta-feira, em Itaquera, em resultado que não muda muito a situação das equipes na tabela do Campeonato Brasileiro. O duelo marcou o estilo de posse de bola do Furacão, treinado por Tiago Nunes, contra a bola aérea e dificuldade de criação do Timão de Fábio Carille. No fim, tudo igual: Gil, de cabeça, abriu o placar, enquanto Léo Cittadini e Erick viraram para os paranaenses. Nos acréscimos do primeiro tempo, Boselli deu números finais à partida.

ASSISTA OS MELHORES MOMENTOS DO JOGO




Para muitos torcedores já é o hora de pensar em 2020 e para o Furacão não é diferente, se as novidades para o time principal estão paradas ou sendo tratadas em sigilobpor outro lado o time de aspirantes já vem se reforçando para a partir em busca do tri campeonato da Rural’s league o Cap não perdeu tempo e investiu forte em jovens talentos oriundos de equipes menores Brasil a fora e quem sabe descobrir um novo “Bruno Guimarães”.
Segue a lista dos 13 novos jogadores que vão se juntar aos remanescentes da campanha deste ano que seguem emprestados como João Pedro, Matheus Anjos, Bruno Rodrigues, Gabriel Poveda entre outros, assim que retornarem devem defender nosso manto no paranaense 2020 sob a tutela de Rafael Guanaes;

Anderson, goleiro: 21 anos – empréstimo do Palmeiras até o fim do ano, mas deve assinar contrato definitivo em 2020.

Danilo Boza, lateral-direito: 23 anos – foi contratado do Braga, Portugal, e está emprestado ao Figueirense até o fim da Série B.

Elias, lateral-direito: 20 anos – foi contratado do Sport e atua na equipe de Aspirantes do Athletico.

Arlen Cleyton, lateral-direito: 23 anos – foi contratado do Madureira e está emprestado até o fim do ano para o Lajeadense (RS).

Walber, zagueiro: 22 anos – revelação do Botafogo-PB, é jogador do Furacão está emprestado ao Figueirense até o fim da temporada.

Felippe Borges, lateral-esquerdo: 19 anos – revelação do Juventude neste ano, virá por empréstimo ao Athletico até 30 de abril de 2020.

Léo Gomes, volante: 22 anos – contratado junto ao Vitória e seguirá no clube baiano até o fim da Série B por empréstimo.

Denner, meia: 19 anos – estava emprestado ao Juventude até o fim da Série C, foi contratado pelo Athletico do próprio time gaúcho.

Juanma Boselli, meia: 19 anos – foi contratado junto ao Defensor-URU, foi anunciado pelo clube, mas acabou emprestado ao América-MG para a disputa da Série B. O próprio Tiago Nunes afirmou que ele deve jogar pelo Athletico apenas no Paranaense 2020.

Pedrinho, atacante: 19 anos – destaque do Oeste, foi emprestado ao Furacão, que tem opção de compra, e já integra a equipe principal de Tiago Nunes.

Elias Carioca, atacante: 19 anos – contratado do Santa Cruz no mês passado e está emprestado à Ponte Preta.

Bruno Alves, atacante: 27 anos – contratado do Caxias, foi emprestado ao Juventude e agora ao CSA.

Guilherme Bissoli, atacante: 21 anos – contratado no início do ano do São Paulo, sem custo, e está no Club Fernando de la Mora-PAR.

Agora que já estão devidamente apresentados declaro aberto a temporada de apostas senhoras e senhores, para vocês quem será o próximo menino de ouro a subir dos aspirantes? Vocês se arriscam a dar um chute no escuro?



O Athletico conquistou mais uma vitória importante no Brasileirão, ao bater o Bahia por 2 a 1, na noite deste sábado (05), na Arena Fonte Nova, em Salvador, em jogo válido pela 23ª rodada da competição. Os gols da vitória rubro-negra foram marcados pelo atacante Marcelo Cirino e pelo meia Léo Cittadini — Fernandão descontou para os mandantes.
O destaque foi o retorno do zagueiro Thiago Heleno após seis meses afastado por doping. O ‘general’ voltou ao time como titular e atuou por 69 minutos ao lado de Léo Pereira.
O Furacão volta a campo na próxima quinta-feira (10), às 19h15, diante do Corinthians, na Arena Corinthians, em São Paulo, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Athletico Rubro-Negro foi para o duelo determinado a conseguir um bom resultado. A surpresa, de certa forma, na escalação do Athletico foi a presença de Lucho González entre os titulares no lugar de Wellington. O técnico Tiago Nunes explicou que a escolha se deu porque o volante, que ficou no banco, está com dois cartões amarelos, e como vai perder Bruno Guimarães para os próximos dois jogos – que vai defender a seleção brasileira olímpica – preferiu preservar Wellington.

ASSISTA OS MELHORES MOMENTOS DO JOGO



Com contrato até o fim do ano, Tiago Nunes ensaia permanência no Athletico

“Eu não me vejo fora do Athletico hoje”. Apesar da declaração que deu recentemente, antes da final da Copa do Brasil, dando a entender que poderia deixar o Furacão por conta do cansaço, o técnico Tiago Nunes, ao que tudo indica, está cada vez mais perto de renovar seu contrato para a próxima temporada.

Depois de conquistar o título inédito da competição nacional, o treinador foi o entrevistado do programa Bola da Vez, da ESPN Brasil e garantiu que segue firme e forte no comando do Rubro-Negro, apesar de admitir propostas.

 

Ouvidoria da CBF reconhece erro em pênalti marcado contra o Athletico

A ouvidoria de arbitragem da CBF reconheceu o erro do pênalti marcado a favor do Santos, no dia 08 de setembro, na Vila Belmiro, que resultou no empate em 1 a 1 com o Athletico. O parecer da entidade, assinado pelo ex-árbitro Manoel Sarapião Filho, presidente da Escola Nacional de Arbitragem de Futebol (ENAF), considerou que a penalidade máxima assinalada pelo árbitro Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ) foi marcada de maneira incorreta.

A análise foi feita após um ofício enviado pelo próprio Furacão solicitando áudios da comunicação entre o árbitro e a cabine do VAR. Na ocasião, o juiz marcou a falta fora da área e, após consultar o árbitro de vídeo, assinalou a penalidade, alegando um contato do athleticano Braian Romero no santista Marinho em cima da linha da grande área.

 

Petraglia passa por nova intervenção para trocar curativo e tem ‘boa evolução’

O presidente do Conselho Deliberativo do Athletico, Mário Celso Petraglia, passou por uma nova pequena intervenção cirúrgica para a troca de curativo, na noite da última segunda-feira (30), no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo. De acordo com o boletim médico divulgado pelo hospital nesta terça (01), o quadro do dirigente teve ‘boa evolução’.

Este foi o segundo procedimento para trocar curativo desde a cirurgia realizada na última sexta-feira (27), realizado pelo médico Dr. Antonio Luiz de Vasconcellos Macedo, o mesmo responsável pela cirurgia do presidente Jair Bolsonaro na região do abdômen.

Mário Celso Petraglia está internado no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, desde a última semana e segue sem previsão de alta.

 

Pai do atacante Marco Ruben morre na Argentina; Athletico e Rosario Central enviam mensagens

O pai do atacante Marco Ruben, Alejandro Ruben, morreu nesta sexta-feira, na Argentina . Ele sofria de câncer na garganta e já havia sido submetido a cirurgia no último mês. Marco Ruben foi liberado pelo Athletico ainda no início da semana para acompanhar o pai.

A notícia da morte do pai do jogador foi confirmada por pelo Rosário Central, clube que Marco Ruben tem contrato e é um de seus maiores ídolos. O Athletico também publicou em suas redes sociais uma mensagem de condolências.

 

Athletico tem desfalques e retorno de Thiago Heleno para encarar o Bahia

A espera finalmente acabou. Após 157 dias afastado dos gramados por doping, o zagueiro Thiago Heleno será a principal novidade no Athletico, no duelo com o Bahia, neste sábado (05), às 19h, na Arena Fonte Nova, em Salvador, pela 23ª rodada do Brasileirão. O jogador retorna ao time depois do término da suspensão imposta pela Conmebol e iniciará a partida entre os titulares.

Isso porque o sistema defensivo não conta com outra opção. O planejamento inicial era de que o atleta pudesse voltar aos poucos para recuperar o ritmo, mas Tiago Nunes perdeu Lucas Halter, vetado com dores musculares. Além disso, Pedro Henrique segue no departamento médico e Robson Bambu passou por cirurgia no rosto no início da semana.

 

Nikão entrega camisa do Athletico a torcedor que perdeu a mão antes da final da Copa do Brasil

Após perder a mão na explosão de um artefato, Weslley Pontes ganha a camisa 11 de Nikão em encontro na quinta-feira. “Foi um dia especial para mim”, conta o jogador
O meia-atacante Nikão encontrou Weslley Pontes, o torcedor do Athletico que perdeu a mão antes da finalíssima da Copa do Brasil. O atleticano sofreu o acidente durante a festa da torcida no embarque do Furacão a caminho de Porto Alegre, no dia 17 de setembro.

O encontro aconteceu na tarde de quinta-feira, em uma lanchonete em frente à Arena da Baixada. Nikão também conheceu os pais do torcedor, Ana Maria e Sebastião. Depois, ele foi até a sede da torcida organizada Os Fanáticos, acompanhado pelos três.

 

Supercopa abre calendário 2020 com campeão da Copa do Brasil e Brasileirão

A CBF anunciou a retomada da Supercopa do Brasil, que vai abrir o calendário de jogos oficiais de 2020. A partida está prevista para o dia 19 de janeiro, com local ainda ser definido, e vai colocar em confronto o atual campeão da Copa do Brasil, o Athletico, e o futuro campeão brasileiro. O jogo foi anunciado com a definição e divulgação do calendário da CBF para o próximo ano.

A Supercopa será antes do início dos estaduais e está previsto, de acordo com a entidade, como a última data da pré-temporada dos times brasileiros. Será a primeira disputa de título do ano. O regulamento ainda não foi divulgado, como a definição em caso do campeão dos dois campeonatos ser o mesmo time.


A noite foi de festa na Arena da Baixada, com gritos de “é campeão” no reencontro com a torcida é até aplausos para o presidente do Conselho Deliberativo, Mário Celso Petraglia. Dentro de campo, o Athletico levou um susto, mas goleou de virada o Fortaleza por 4 a 1 e foi aplaudido mais uma vez pelos torcedores.

Com a vitória, o Athletico permanece em 9º, agora com 30 pontos – o Furacão já está garantido na Libertadores de 2020.

Assista os melhores momentos da goleada




Athletico x Avaí: tudo sobre o jogo da manhã de Domingo

Os reservas do Athletico recebem o lanterna Avaí às 11h deste domingo, na Arena da Baixada, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Furacão é o nono colocado, com 26 pontos, entretanto tenta seguir perto do G-6; o time catarinense é o 20°, com apenas 10, e vai atrás da segunda vitória certamente.

 

Athletico poupa titulares e terá reservas na partida contra o Avaí, Titulares não treinaram nesta sexta-feira (15) e serão poupados, de olho na decisão da Copa do Brasil.

A expectativa é que o Rubro-Negro tenha praticamente a mesma formação que empatou com o Peixe no último fim de semana. A exceção é o lateral-esquerdo Adriano, que não treinou. O Furacão deve ir a campo com Léo; Madson, Pedro Henrique, Lucas Halter e Abner Vinícius; Matheus Rossetto, Lucho González e Everton Felipe; Braian Romero, Vitinho e Thonny Anderson. Nono colocado, com 26 pontos, o Athletico pode subir apenas uma colocação nesta rodada. Para isso, pode até empatar e torcer por um tropeço do Atlético-MG, que recebe o Internacional, no Independência.

 

COMO VEM O ATHLETICO ?
A equipe terá a formação semelhante ao empate com o Santos na última rodada, com exceção do zagueiro Léo Pereira, que foi utilizado na ocasião para ganhar ritmo. No seu lugar, Lucas Halter ganha a chance para atuar ao lado de Pedro Henrique, que não pode atuar na Copa do Brasil.

Na lateral-esquerda, Adriano não treinou na última sexta-feira (15) com desconforto muscular e fica de fora. Para o seu lugar, surpreendentemente Abner Vinícius será o escolhido. Já a última mudança acontece no ataque, com a entrada de Marcelo Cirino no lugar de Vitinho.

O provável time Athletico vem com: Léo; Madson, Pedro Henrique, Lucas Halter e Abner Vinícius; Matheus Rossetto, Lucho González e Everton Felipe; Braian Romero, Marcelo Cirino e Thonny Anderson.

 

COMO VEM O ENGENHEIROS DO HAVAÍ?
Com apenas uma vitória, contudo o Leão da Ilha espera tirar proveito do rival  com time alternativo, apesar de acima de tudo pregar respeito. enfim sem João Paulo, suspenso, o técnico Alberto Valentim escondeu quem será o substituto. A tendência é que Matheus Barbosa assuma a vaga, com Douglas correndo por fora. Na zaga, Betão volta de lesão e entra no lugar de Marquinhos Silva ou Ricardo. Na lateral-direita, Léo também retoma a vaga no time titular após se recuperar de lesão muscular – ademais Iury retorna ao banco.

 

ONDE ASSISTIR?
O jogo do Athletico terá transmissão do Canal Premiere.

 

ARBITRAGEM
Felipe Fernandes de Lima (MG) apita Athletico x Avaí, com Guilherme Dias Camilo (MG) e Ricardo Junio de Souza (MG) nas bandeiras. Igor Junio Benevenuto (MG) será o responsável pelo VAR, portanto o árbitro de vídeo.



O Athletico Paranaense recebeu na no noite de ontem, quarta-feira (11), o Internacional em jogo válido pela final da Copa do Brasil 2019. A vitória pelo placar de 1×0, gol de Bruno Guimarães, deixa o rubro-negro em vantagem para o jogo de volta da decisão, que acontece na próxima quarta-feira (18) no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

Conforme as informações adiantadas pela mídia especializada, o técnico Tiago Nunes optou pela manutenção da equipe que conquistou a histórica classificação diante do Grêmio no partida de volta das semifinais, com Nikão atuando aberto pelo lado direito do ataque e Léo Cittadini no meio-de-campo ao lado de Wellington e de Bruno Guimarães. A única novidade foi o retorno de Léo Pereira à defesa, atuando ao lado de Robson Bambu.

O colorado gaúcho veio a Curitiba com a clara intenção de desacelerar o jogo e garantir um empate sem gols para decidir o título em seus domínios na próxima semana. A maior prioridade era não perder. Se fosse possível vencer se aproveitando de um contra-ataque ou de uma jogada de bola parada, melhor, mas se manter vivo na disputa pelo título era claramente o grande objetivo do Internacional na partida.

O Furacão, por sua vez, assumindo o protagonismo que se espera de um mandante em um jogo decisivo, dominou de forma avassaladora a equipe treinada por Odair Hellmann. Em certos momentos da primeira etapa a posse de bola do rubro-negro paranaense beirou impensáveis 80%.

As chances de gol foram raras de ambos os lados no primeiro tempo, algo compreensível quando se enfrenta um adversário preocupado somente com a sua defesa. Entretanto, o domínio do Athletico era absoluto e a tendência era que cedo ou tarde a barreira colorada se rompesse diante das recorrentes investidas rubro-negras.

E foi o que aconteceu. Grande destaque da partida, Bruno Guimarães aproveitou bate-rebate da defesa gaúcha para abrir o marcador em favor do Furacão aos 12 minutos da etapa complementar. A tendência natural àquela altura era que o rubro-negro do Paraná mantivesse o domínio das ações e talvez até ampliasse a vantagem já conquistada.

Entretanto, um movimento que Tiago Nunes realizou instantes antes colocaria em xeque o domínio rubro-negro. A saída de Léo Cittadini para a entrada em campo de Thonny Anderson resultou na perda do meio-de-campo pelo Athletico. O Internacional então cresceu na partida, chegou a criar algumas situações de perigo e poderia ter marcado um gol que colocaria o Furacão em situação delicada na decisão.

O único momento no período em que o Athletico esteve realmente perto de aumentar a sua vantagem no marcador foi quando Rony finalizou cruzado para excelente defesa do goleiro colorado Marcelo Lombo após realizar grande jogada individual.

A entrada de Lucho González no lugar de Rony mais de 23 minutos depois daquela primeira alteração acabou por mitigar as suas consequências, trazendo novo equilíbrio ao confronto. Porém, o rubro-negro jamais recuperou o amplo domínio demonstrado durante os primeiros 60 minutos de jogo, motivo pelo qual a vitória por 1×0 parece refletir o que de fato ocorreu em campo.

Bom resultado para o Furacão. Entretanto, para conquistar o título inédito da Copa do Brasil é indispensável que a valiosa lição tenha sido aprendida. Entregar passivamente o controle do meio-de-campo ao Internacional em uma bandeja de prata pode pode custar caro.



O Athletico Paranaense derrotou na Arena da Baixada na noite ontem, quarta-feira (4), a equipe do Grêmio por 2×0 em jogo válido pela semifinal da Copa do Brasil 2019. O resultado no tempo normal aliado à vitória gremista pelo mesmo placar em Porto Alegre levou a decisão da vaga na final do torneio para a disputa de pênaltis, onde o Furacão confirmou a sua imensa superioridade para garantir a classificação ao derrotar os gaúchos por 5×4.

Verdade seja dita, as perspectivas antes da partida eram sombrias em razão das más atuações recentes do rubro-negro paranaense. Ao ser questionado por um amigo se acreditava na classificação do Furacão para a final disse que sim, eu acredita, mas que essa crença dependeria de mudanças acontecerem para que o Athletico pudesse assumir o protagonismo no jogo e buscar o resultado de que precisava.

Bem, as mudanças aconteceram e foram muito mais do que evidentes. Depois de muito insistir em uma escalação quase sem meio-campistas, ontem vimos o técnico Tiago Nunes devolver Nikão à ponta-direita e posicionar Léo Cittadini ao lado de Bruno Guimarães no meio-de-campo. Os resultados dessas alterações foram imediatos, a presença de Cittadini acrescentou alternativas à saída de bola e liberou Bruno Guimarães para assumir maior protagonismo em um meio-de-campo que contava também com aparições eventuais e precisas de Nikão.

Campeão mundial de xadrez por aproximadamente 15 anos e considerado por muitos o maior enxadrista de todos os tempos, Garry Kasparov trata em alguns de seus escritos sobre algo que vinha faltando ao Furacão e que foi fundamental para a virada épica conquistada contra o Grêmio: a iniciativa.

O Ogro de Baku, como é conhecido o famoso grão-mestre, sustenta que a melhor forma de enfrentar um desafio é tomar a iniciativa e assumir o controle das ações. Embora seja muito tentador para um cruyffista convicto como o autor, é preciso ter muito cuidado ao extrapolar o conceito de iniciativa para um esporte como o futebol para não confundir ter a iniciativa com manter a posse de bola ou simplesmente atacar.

É possível estar de posse da iniciativa atacando ou contra-atacando, o que é fundamental é exercer um papel ativo no desenrolar dos acontecimentos. É representar em campo o caçador, e não a caça. Era isso que vinha faltando ao Athletico nos últimos jogos, e foi isso que sobrou na noite de ontem e que resultou em uma eliminação e em uma acachapante derrota para a equipe comandada pelo técnico Renato Portapulli.

O Furacão tomou a iniciativa, assumiu o controle da partida, reforçou constantemente a sua iniciativa investindo continuamente contra o gol defendido por Paulo Victor e ao Grêmio não restou nenhuma alternativa além de sucumbir perante o domínio absoluto do rubro-negro do Paraná.

A vaga na finalíssima foi merecida, as chances de título são reais e para isso tudo o que nós, torcedores, pedimos aos jogadores, à comissão técnica e ao técnico Tiago Nunes é que o Athletico mantenha não somente nos dois jogos da final da Copa do Brasil, mas em qualquer jogo que disputarmos daqui para frente a postura apresentada ontem na Arena da Baixada.

E contem sempre conosco, a fanática torcida rubro-negra estará presente e fará a sua parte. Rubro-negro é quem tem raça!