O Athletico mais uma vez endureceu para cima do Flamengo, mas foi castigado com erros defensivos e com uma tarde inspirada do atacante Bruno Henrique, neste domingo (13), e foi derrotado pelo líder do campeonato, por 2 a 0, na tarde deste domingo (13), na Arena da Baixada, em jogo válido pela 25ª rodada do Brasileirão.

Com duas equipes que buscam intensidade e gostam de propor, quem esperava um bom jogo não se decepcionou. Mesmo contra um adversário organizado e que manteve a posse, o Athletico conseguiu criar, mas esbarrou em uma tarde inspirada do goleiro Diego Alves. O camisa 1 flamenguista foi exigido quatro vezes e trabalhou bem, salvando as ações dos mandantes. A melhor delas, aos 31 minutos, com uma defesa plástica, na gaveta, em cabeceio de Thiago Heleno.

Garantido lá atrás, o Rubro-Negro carioca criou boas chances no ataque. Aos 17, Léo Pereira derrubou Lucas Silva na área, o árbitro Braulio da Silva Machado marcou pênalti e voltou atrás após consultar o vídeo. Mas, na reta final, o gol finalmente saiu. Aos 44, Léo e Wellington se atrapalharam na saída de bola e a marcação alta de Jorge Jesus funcionou, com Bruno Henrique aproveitando para colocar os visitantes na frente.

O Furacão voltou com um ímpeto ofensivo e assustando o adversário. Aos dois minutos, Arão falhou e Thonny Anderson tentou aproveitar o presente, mas Diego Alves fez bela defesa. Pouco depois, o camisa 38 teve mais uma grande chance, mas o chute passou raspando a trave. Aos 12, Léo Pereira também tentou e mandou pela linha de fundo.

Sufocado com a pressão athleticana, o Flamengo demorou para desafogar e conseguir construir em busca do segundo gol. Aos 28, Everton Ribeiro tabelou com Arão e assustou, mas estava impedido. Já aos 31, Léo Pereira falhou e Bruno Henrique finalizou raspando a trave direita.

Mas a tarde era mesmo do camisa 27 do time carioca. Responsável pelo primeiro gol e pela melhor chance até então na etapa final, Bruno Henrique fechou o placar, aos 45, batendo de letra após cruzamento de Vitinho pelo lado esquerdo.

O PIÁ DO DJANHO DUVIDO QUE VOCÊ AJUDE A GENTE? SABE COMO? OLHA PARA BAIXO HAHAHAHA




O Athletico Paranaense visitou na noite de ontem, quinta-feira (10), o Corinthians em partida válida pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2019. O empate pelo placar de 2×2, gols de Léo Cittadini e Erick pelo Furacão e de Gil e Mauro Boselli pelo time paulista, rendeu ao rubro-negro paranaense um ponto em um estádio que costuma receber de forma hostil as equipes visitantes.

Independentemente dos erros cometidos nas jogadas de bola parada que renderam os 2 gols do Corinthians, há algo de positivo a se destacar sobre o Furacão no confronto de ontem: a equipe continua competindo e em altíssimo nível.

Muito foi dito e escrito na mídia especializada sobre este final de 2019 do Athletico, que bastaria ao clube garantir os 45 pontos que teoricamente eliminariam o risco de rebaixamento e a partir daí o clube estaria virtualmente de férias até a próxima temporada.

Entretanto, muito se enganam aqueles que pensam dessa forma. O sucesso de 2020 em muitos aspectos depende e muito daquilo que se fará até o final de 2019. Para esclarecer essa afirmação, é importante destacar pelo menos 3 pontos fundamentais.

Primeiramente, o aspecto financeiro. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) paga uma premiação em dinheiro aos clubes pelo seu desempenho no campeonato nacional. Quanto mais alta a posição alcançada pelo clube na tabela de classificação, maior será o valor que chegará aos cofres do Furacão ao final do temporada a título de bonificação por desempenho.

Da mesma forma, uma parcela dos valores referentes aos direitos de transmissão também é dividida de maneira e premiar a performance nos clubes no torneio.

Logo, melhores resultados significarão mais dinheiro em caixa para o clube no próximo mercado de transferências. Consequentemente, mais dinheiro em caixa pode significar melhores jogadores chegando para somar qualidades ao já bastante qualificado elenco rubro-negro. E melhores jogadores aumentam também as chances do clube de conquistar novos títulos em 2020.

Um segundo aspecto é ser considerado é o técnico. Somente enfrentando com seriedade todos os adversários até o fim da temporada é que será possível avaliar com precisão e decidir com uma maior possibilidade de acerto as questões relativas à formação do elenco para 2020.

É preciso decidir quais jogadores pertencentes ao clube ficam para 2020, quais podem ser emprestados para que possam desenvolver seu potencial em outras equipes e quais devem ser dispensados. Será importante também avaliar quais dos jogadores emprestados por outros clubes merecem ter o empréstimo prorrogado ou serem adquiridos em definitivo pelo Athletico.

Há também os jovens jogadores do elenco do Furacão. Nomes como Khellven, Lucas Halter, Abner Vinícius, Erick e Vitinho, por exemplo. A reta final da temporada 2019 é o momento ideal para dar minutos e permitir que os jovens talentos rubro-negros adquiram experiência entre os profissionais em jogos competitivos.

Naturalmente, isso não poderia acontecer ao custo da competitividade da equipe. Entretanto, seria perfeitamente possível dar oportunidades em cada partida a um ou mais desses jogadores conforme o nível de exigência dos adversários.

Por fim, um último aspecto fundamental a ser destacado e que tem sido muito pouco lembrado é o da manutenção da competitividade. Competir no mais alto nível exige tenacidade, concentração e desempenho contínuos. Esse nível de competitividade não pode simplesmente ser desligado e religado a qualquer momento.

Não faltam no futebol nacional exemplos de fracassos e vexames históricos protagonizados por equipes campeãs que relaxaram e deixaram de competir após a conquista de um ou mais títulos.

Basta relembrar as vexatórias eliminações sofridas por Internacional e Atlético Mineiro para Mazembe e para Raja Casablanca, respectivamente, nas edições de 2010 e 2013 do Mundial de Clubes da FIFA ou o rebaixamento do Palmeiras em 2012 após a conquista da Copa do Brasil.

Aqueles que querem estar entre os maiores em qualquer esporte deve competir muito e sempre, não há qualquer espaço para o relaxamento quando o objetivo é o atingir o topo. Essa não é a hora de se deitar sobre as glórias alcançadas, é hora de arregaçar as mangas e trabalhar duro como se nada houvesse sido conquistado e não houvesse nada garantido para 2020.

A torcida ainda espera muito do Athletico, e em 2019. Sabe-se que o título brasileiro é impossível na atual situação, mas a fanática torcida rubro-negra quer o Furacão na posição mais alta possível ao término do competição.

 

 

Corinthians e Athletico-PR ficaram no empate por 2 a 2 na noite desta quinta-feira, em Itaquera, em resultado que não muda muito a situação das equipes na tabela do Campeonato Brasileiro. O duelo marcou o estilo de posse de bola do Furacão, treinado por Tiago Nunes, contra a bola aérea e dificuldade de criação do Timão de Fábio Carille. No fim, tudo igual: Gil, de cabeça, abriu o placar, enquanto Léo Cittadini e Erick viraram para os paranaenses. Nos acréscimos do primeiro tempo, Boselli deu números finais à partida.

ASSISTA OS MELHORES MOMENTOS DO JOGO


O PIÁ DO DJANHO DUVIDO QUE VOCÊ AJUDE A GENTE? SABE COMO? OLHA PARA BAIXO HAHAHAHA




Para muitos torcedores já é o hora de pensar em 2020 e para o Furacão não é diferente, se as novidades para o time principal estão paradas ou sendo tratadas em sigilobpor outro lado o time de aspirantes já vem se reforçando para a partir em busca do tri campeonato da Rural’s league o Cap não perdeu tempo e investiu forte em jovens talentos oriundos de equipes menores Brasil a fora e quem sabe descobrir um novo “Bruno Guimarães”.
Segue a lista dos 13 novos jogadores que vão se juntar aos remanescentes da campanha deste ano que seguem emprestados como João Pedro, Matheus Anjos, Bruno Rodrigues, Gabriel Poveda entre outros, assim que retornarem devem defender nosso manto no paranaense 2020 sob a tutela de Rafael Guanaes;

Anderson, goleiro: 21 anos – empréstimo do Palmeiras até o fim do ano, mas deve assinar contrato definitivo em 2020.

Danilo Boza, lateral-direito: 23 anos – foi contratado do Braga, Portugal, e está emprestado ao Figueirense até o fim da Série B.

Elias, lateral-direito: 20 anos – foi contratado do Sport e atua na equipe de Aspirantes do Athletico.

Arlen Cleyton, lateral-direito: 23 anos – foi contratado do Madureira e está emprestado até o fim do ano para o Lajeadense (RS).

Walber, zagueiro: 22 anos – revelação do Botafogo-PB, é jogador do Furacão está emprestado ao Figueirense até o fim da temporada.

Felippe Borges, lateral-esquerdo: 19 anos – revelação do Juventude neste ano, virá por empréstimo ao Athletico até 30 de abril de 2020.

Léo Gomes, volante: 22 anos – contratado junto ao Vitória e seguirá no clube baiano até o fim da Série B por empréstimo.

Denner, meia: 19 anos – estava emprestado ao Juventude até o fim da Série C, foi contratado pelo Athletico do próprio time gaúcho.

Juanma Boselli, meia: 19 anos – foi contratado junto ao Defensor-URU, foi anunciado pelo clube, mas acabou emprestado ao América-MG para a disputa da Série B. O próprio Tiago Nunes afirmou que ele deve jogar pelo Athletico apenas no Paranaense 2020.

Pedrinho, atacante: 19 anos – destaque do Oeste, foi emprestado ao Furacão, que tem opção de compra, e já integra a equipe principal de Tiago Nunes.

Elias Carioca, atacante: 19 anos – contratado do Santa Cruz no mês passado e está emprestado à Ponte Preta.

Bruno Alves, atacante: 27 anos – contratado do Caxias, foi emprestado ao Juventude e agora ao CSA.

Guilherme Bissoli, atacante: 21 anos – contratado no início do ano do São Paulo, sem custo, e está no Club Fernando de la Mora-PAR.

Agora que já estão devidamente apresentados declaro aberto a temporada de apostas senhoras e senhores, para vocês quem será o próximo menino de ouro a subir dos aspirantes? Vocês se arriscam a dar um chute no escuro?

O PIÁ DO DJANHO DA UMA AJUDA PRA GENTE AÍ SEU JAGUARA HAHAHAHAHAHA VALEU IRMÃO




Continuamos com nosso especial sobre a conquista da Copa do Brasil! Desse vez pedimos aos torcedores do rubro-negro, para nos enviar a gravação da sua comemoração.
Já adianto que é emocionante, da o play e se prepara para se emocionar mais uma vez.

DE UMA AJUDA PRA GENTE CONTINUAR FAZENDO ESSE CONTEÚDO LEGAL




O Athletico perdeu uma ótima chance de subir ainda mais na classificação do Campeonato Brasileiro. Mesmo jogando melhor e em uma jornada em que desperdiçou muitos gols, o Furacão não saiu de um empate em 1×1 diante da lanterna Chapecoense, na noite deste domingo (29), na Arena da Baixada. Com o resultado, chegou aos 31 pontos e se manteve na nona posição na classificação.

Um massacre. O Athletico-PR pressionou, carimbou o travessão, mas só conseguiu marcar um gol no empate em 1 a 1 com a Chapecoense. Ao todo, foram 28 finalizações do Furacão, com 12 chances reais de gol, contra apenas uma da Chape em oito finalizações.

Apesar desse grande volume, o time de Santa Catarina abriu o placar com Arthur Gomes ainda no primeiro tempo e Nikão deixou tudo igual em um gol de falta.

O Athletico encerrou um longo e incômodo jejum no empate contra a Chapecoense, em 1 a 1, neste domingo, na Arena da Baixada. O time principal do Furacão não fazia um gol de falta há um ano e quatro meses.A última vez que a equipe principal havia feito um gol de bola parada direta, em jogos oficiais, foi no duelo com o Cruzeiro, em maio de 2018, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. O lateral-esquerdo Carleto soltou a bomba e marcou o gol de falta.

ASSISTA OS MELHORES MOMENTOS DO JOGO

DE UMA AJUDA PRA GENTE CONTINUAR FAZENDO ESSE CONTEÚDO LEGAL




No capítulo de hoje vamos aprender a fazer o melhor para seu currículo e assim diminuir a concorrência e continuar no alto nível. Vamos falar só dos últimos 10 meses (dezembro 2018 / setembro 2019), primeiramente ganhe o reconhecimento internacional com o titulo de uma SUDAMERICANA,
ganhe o estadual com um time sub 23, dispute uma Recopa, ganhe uma J.League YBC Levain Cup/CONMEBOL Sudamericana, para finalizar ganhe uma Copa do Brasil.

Currículo atualizado vamos aos fatos e resultados das conquistas:

Premiações altíssimas.
Maiores lucros com patrocinadores.
Maiores rendas.
Maior público.
Número de sócios aumentado.
Aumento do número de jogos em casa.
Aumento de vendas de copos festivos, alimento, cerveja e refrigerante durante os jogos.
Reconhecimento Nacional e Internacional.
Jogadores convocados para as Seleções (principal e olímpica).
Novos patrocinadores.
Aumento de venda de camisas( inclusive durante o jogo e após, pois existe uma máquina de venda instantânea no estádio) e artigos do clube.
Valorização de seus atletas, e patrimônio.
Aumento do número de troféus em sua galeria.
Exposição diária na mídia, em redes de televisão,rádios e redes sociais.
Aumento do numero de fãs.
Aumento do número de torcedores jovens. (Quem não quer torcer para um campeão).
Aumento de emprego e renda para trabalhadores informais em torno da arena.
Aumento nas vendas de fogos de artificio.
Alegria de seus torcedores.
Inveja,tristeza e abdução dos adversários.
Raiva e desespero da CBF.
Tirar pena de Urubu.
Matar o Imortal.
Dar rasteira em Saci.
Dar risada da CBF.
Desfilar em caminhão de Bombeiro tomando Kaiser.

Só quem é CAMPEÃO pode, em minha opinião.

LEGAL NÉ, AGORA DA AQUELA MORAL PRA GENTE 😉




Em clima de ressaca após a inédita conquista da Copa do Brasil na última quarta-feira (18), o Athletico Paranaense foi até o Rio de Janeiro enfrentar o Vasco da Gama no Estádio de São Januário em jogo válido pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2019. O empate pelo placar de 1×1, gols de Madson e Danilo Barcelos, deixou o Furacão na 9ª nona posição da tabela de classificação com 27 pontos ganhos.

Verdade seja dita, a partida rendeu muitas possíveis pautas. Seria possível tratar – mais uma vez – da desastrosa arbitragem do gaúcho Anderson Daronco, das declarações absolutamente desconectadas da realidade dadas pelo treinador cruz-maltino na coletiva pós-partida ou até mesmo falar sobre as substituições realizadas pelo técnico  Tiago Nunes que permitiram que a equipe carioca crescesse na etapa complementar a ponto de conquistar o empate, ainda que para isso tenha sido necessária e decisiva a absurda participação da arbitragem.

Entretanto, o que mais chamou a atenção foi a permanência em campo durante todo o tempo do atacante argentino Braian Romero.

Romero, de 28 anos, foi contratado por empréstimo junto ao Independiente pela soma aproximada de 550.000,00 em Fevereiro deste ano e tem contrato com o rubro-negro paranaense até 31 de Dezembro de 2019. Ao final do período, o Athletico poderia comprar os direitos do jogador pela quantia de 2,5 milhões de Dólares.

Desde que chegou ao Furacão, Romero vem se destacando por sua versatilidade – o argentino já foi escalado em ambos os lados do ataque, como segundo atacante e até como centroavante – e por sua regularidade – tem sido absolutamente bisonho em todas essas posições. Entretanto, ontem foi um dos 8 escolhidos por Tiago Nunes para iniciar e terminar em campo o confronto contra o Vasco.

Romero não possui qualquer qualidade que justifique tamanha benevolência por parte da comissão técnica. Ou se as possui, ainda não as demonstrou no campo de jogo. Mostra dificuldades para dominar a bola, erra passes que seriam simples para a maioria de seus companheiros, pouco aparece na área adversária e costuma finalizar mal nessas poucas ocasiões. O pouco que acrescenta se limita à sua correria em campo, o que é muito pouco para quem quer jogar em um clube com um protejo desportivo vencedor. Se sabe apenas correr, talvez o argentino devesse praticar atletismo em vez de jogar futebol.

Aos torcedores rubro-negros resta torcer para que essa seja a última das tantas oportunidades que Braian Romero recebeu sem corresponder. Existem no elenco jovens jogadores que já demonstraram ter qualidades e merecer parte das oportunidades concedidas ao atacante argentino.

Que Dezembro chegue logo trazendo consigo o final do contrato do jogador e que o argentino só volte a pisar no gramado da Arena da Baixada na condição de jogador do time visitante, os zagueiros rubro-negros agradecem.



A campanha contou com quatro vitórias, três empates e uma derrota, com oito gols marcados e cinco gols sofridos.

Athletico x Fortaleza

O primeiro adversário foi o Fortaleza, fora de casa. Contra o time comandado pelo então técnico Rogério Ceni, o Furacão ficou no 0 a 0, em um jogo de pouca emoção na Arena Castelão. Já no jogo de volta em Curitiba, num duelo de ataque contra defesa, o Furacão venceu por 1 a 0, na Arena da Baixada, com gol do atacante argentino Marco Ruben, de cabeça, aos 43 minutos do segundo tempo.
Assista o gol de Marco Ruben que deu a classificação ao Furacão

Athletico x Flamengo

O adversário das quartas de final foi o midiático Flamengo, Nos primeiros 90 minutos da decisão, tudo igual entre os rubro-negros. As equipes ficaram no 1 a 1, na Arena da Baixada, no duelo marcado por emoções, polêmicas e gols anulados após consultas ao VAR. Léo Pereira marcou para o Furacão, e Gabigol fez o do Fla.
Assista os gols do empate

Jogo de volta no Maracanã com 70 mil pessoas, Pênaltis com emoção, brilho de Santos e “cheirinho”
O mesmo placar da Arena da Baixada se repetiu no Maracanã: 1 a 1. Os gols saíram no segundo tempo. O Flamengo marcou com Gabigol, mas o Furacão não desistiu, cresceu no fim e empatou com Rony, levando a decisão para os pênaltis. Nas cobranças brilhou a estrela de Santos, que pegou os chutes de Diego e Everton Ribeiro. Classificado, o Athletico ainda ironizou o time carioca na comemoração, zoando Gabigol e lembrando do “cheirinho”.
Assista os gols e a vitória nas cobranças de pênaltis

Athletico x Grêmio

Derrota dolorida contra o Grêmio Na semi, o Athletico teve o Grêmio pela frente. No primeiro duelo, o Furacão perdeu por 2 a 0, em Porto Alegre, com gols de André e Jean Pyerre. Com atuação abaixo do esperado, o Rubro-Negro foi facilmente dominado pelo time de Renato Gaúcho, que saía em vantagem na primeira decisão.
Assista os gols do jogo

Jogo de volta na Arena e a morte do imortal
Derrotado na ida, restava vencer ou vencer ao Athletico. O Furacão precisava bater o Grêmio por três gols de diferença para ficar com a vaga. Empurrado pela torcida, o Rubro-Negro transformou o estádio em caldeirão e devolveu o placar, com gols de Nikão e Marco Ruben. Nas cobranças, Santos defendeu o último chute, e colocou o Athletico na grande decisão do título.
Assista os gols e a vitória nas cobranças de pênaltis

Athletico x Internacional

E veio a final. E mais um gaúcho pela frente. No primeiro duelo, em Curitiba, o Furacão saiu na frente. Com uma linda festa na arena da baixada o furacão ia para Porto Alegre com uma vantagem. Não poderia faltar uma polêmica né, o Atacante Guerreiro com toda soberba do mundo reclamou da grama, reclamou que o bolso do bambu era muito pequeno e disse que em casa a gente conversa…
Assista o gol de Bruno Guimarães na vitória do Furacão

O jogo da volta e a Taça inédita!

Com a vitória na ida, o Furacão podia até empatar. Ao o Inter, a obrigação de vencer por dois gols de diferença para levantar a taça. Com o Beira-Rio lotado, o Athletico suportou a pressão dos primeiros 20 minutos e conseguiu abrir o placar, com gol de Léo Cittadini, após assistência de Marco Ruben. Ainda no primeiro tempo, o Colorado empatou com Nico López, aproveitando a bobeira da zaga atleticana. Já nos acréscimos, Marcelo Cirino fez uma jogada espetacular e deu o gol de presente para Rony dar números finais à decisão e fechar com chave de ouro. É campeão!
Assista os gols do jogo

FESTA DO TÍTULO DO ATHLÉTICO PR CAMPEÃO DA COPA DO BRASIL 2019

DRIBLE ABSURDO DO CIRINO, PASSE E GOL DE RONY



Viagem
O Athletico chegou na tarde de ontem em Porto Alegre e teve que cancelar a visita ao Beira-Rio, prevista para a tarde de ontem, por atraso no desembarque. As operações na pista do Aeroporto Salgado Filho estavam suspensas pelo risco de raios. Com isso, o Furacão – que tinha feito um treino de manhã, ainda no CT do Caju – foi do aeroporto direto para o hotel.

Babacas
O hotel onde o Athletico está concentrado em Porto Alegre teve foguetório na madrugada desta quarta-feira (18), dia da final da Copa do Brasil contra o Internacional. A reportagem da Banda B filmou com exclusividade a ação de torcedores do Inter que ficaram quase dois minutos soltando fogos.
O foguetório começou por volta das 2h40 e teve até bateria para atrapalhar o sono dos jogadores do Athletico e retornou às 8h45. As ações aconteceram próximo do Hotel Sheraton, no bairro Moinhos do Vento, local em que a delegação está hospedada.

Premiação
Além do troféu, a disputa é marcada pela premiação fora do padrão: quem vencer o torneio mata-mata, pega R$ 52 milhões pela façanha.

Como vem o Inter?
A ideia do treinador Odair Hellmann é repetir a equipe que entrou em campo na Arena da Baixada. Porém, D’Alessandro sentiu problema muscular na coxa direita no treino de domingo e virou dúvida.
Possível Escalação: Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso, Edenílson, Patrick e D’Alessandro; Nico López e Guerrero.

Como vem o Athletico?
O Furacão não conseguiu visitar o Beira-Rio na véspera do jogo por conta de um atraso no desembarque da equipe em Porto Alegre. O técnico Tiago Nunes, porém, não deve promover surpresas, e a escalação deve ser a mesma do 1 a 0 na Arena da Baixada.
Possível Escalação: Santos; Khellven, Léo Pereira, Robson Bambu e Márcio Azevedo; Wellington, Léo Cittadini e Bruno Guimarães; Nikão, Rony e Marco Ruben.

Transmissão
A partida terá transmissão da TV Globo (para todo o país), SporTV e Premiere

Hora e Local:
Local: Beira-Rio (Porto Alegre-RS)
Horário: 21h30

Arbitragem:
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Bruno Raphael Pires (Fifa-GO)
VAR: Bráulio da Silva Machado (Fifa-SC)

Tempo em Porto Alegre
Nublado com chuva de manhã. Sol e diminuição de nuvens à tarde. Noite com muitas nuvens.