Em estado de graça desde o título da Copa do Brasil, o Athletico não cansa de evoluir na tabela do Brasileirão. Venceu o Grêmio por 2 a 0 na noite desta quarta-feira, na Arena da Baixada, pela 35ª rodada, e igualou a pontuação do próprio Tricolor na ponta de cima. Só não o ultrapassa pelo saldo de gols. Márcio Azevedo e Nikão, de pênalti, fizeram os gols da partida. O Furacão atinge 10 jogos de invencibilidade.

ASSISTA OS MELHORES MOMENTOS



O Athletico bateu o Botafogo por 1×0, na noite deste domingo (17), na Arena da Baixada, pela 33ª rodada do Brasileirão, em uma partida amplamente dominada pelo time atleticano, mas com direito a pênalti perdido e o VAR sendo acionado. Com gol de Thonny Anderson, o quarto dele no ano, o Furacão chegou aos 53 pontos, passou o São Paulo e assumiu a quinta colocação da Série A. O time volta a campo no próximo domingo (24), quando encara o Atlético-MG, às 16h, no Mineirão.

DUVIDO VOCÊ OLHAR PARA BAIXO E AJUDAR A GENTE




Reta final do Brasileirão! Neste domingo (17), o Furacão recebe o Botafogo, às 18h, no Joaquim Américo. A partida é válida pela 33ª rodada da competição nacional.

Os ingressos já estão à venda no tickets.athletico.com.brDepois do #DesafioFamíliaFuracão, as entradas ficaram mais baratas. Todos que vierem com camisa do Athletico pagarão meia-entrada = R$ 50!

As bilheterias e o cadastro biométrico estarão abertos no sábado (16) e no domingo (17), das 10h às 18h. A bilheteria visitante está localizada na Rua Petit Carneiro.

O ingresso é pessoal e intransferível. A entrada deve estar no nome e no CPF do torcedor que vai ao jogo. A biometria é obrigatória para todos os torcedores.*

As informações sobre as trocas de Timemanias serão divulgadas nesta sexta-feira (15).

*Exceto crianças de até 12 anos.

Mapa de acessos

Caso não consiga visualizar o mapa, clique aqui!

Valores dos ingressos
– Torcida do Athletico [todos os setores, exceto VIP e Camarotes]: R$ 50 a meia-entrada e R$ 100 a inteira
– Torcida do Botafogo: R$ 50 a meia-entrada e 100 a inteira
*Todos que vierem com camisa do Athletico pagarão meia-entrada = R$ 50!

Horários e pontos de venda
– Vendas pela Internet [tickets.athletico.com.br]
– Vendas nas bilheterias do estádio: sábado (16) e domingo (17), das 10h às 18h
*Visitantes na Rua Petit Carneiro
– Cadastro biométrico/troca de vouchers: sábado (16) e domingo (17), das 10h às 18h
*Visitantes na Rua Petit Carneiro
– Trocas de Timemanias: sábado (16), das 10h às 18h

Regras para meia-entrada
– Torcedores que vierem com a camisa do Athletico
– Estudante: apresentar no momento da compra e na entrada do estádio Carteira de Estudante com foto, data de validade e identificação do órgão expedidor. O original do comprovante de matrícula supre a ausência da data de validade no documento;
– Professor: apresentar no momento da compra e na entrada do estádio comprovante de vínculo com a instituição de ensino e documento oficial de identificação com foto;
– Idoso [a partir de 60 anos]: Apresentar no momento da compra e na entrada do estádio documento oficial de identificação com foto;
– Doadores de sangue: Apresentar no momento da compra e na entrada do estádio certificado de doador fidelizado de sangue, com data de validade, e documento oficial de identificação com foto;
– Jovens de baixa renda: Pessoa com idade entre 15 e 29 anos que pertence à família com renda mensal de até dois salários mínimos, inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal – Cadúnico. Apresentar no momento da compra e na entrada do estádio “identidade jovem” (documento que comprova a condição de jovem de baixa renda) e documento oficial de identificação com foto;
– Portadores de necessidades especiais e acompanhante
– Crianças de 3 a 12 anos*

*Menores de 3 anos não pagam. É necessário apresentar um documento de identificação na entrada do estádio.

DUVIDO VOCÊ OLHAR PARA BAIXO E AJUDAR A GENTE




Alguns dias atrás fomos pegos de surpresa com a saída de Tiago Nunes ,sabíamos que um dia isso iria acontecer porém não dá maneira como foi. Muitos apoiaram nosso ex técnico campeão que nos proporcionou tantas alegrias ,outros se sentiram traídos pelas “mentiras ” faladas pelo próprio nas coletivas mas  nem valem a pena a serem repetidas.  Como diria nosso saudoso Cazuza ” Tempo não para ” é fato ,não podemos ser “viúvas de Tiago Nunes ” passar dias se lamentando o  que passou passou seremos gratos ao espetacular trabalho feito por esse profissional, mas temos que  continuar e seguir com o projeto grandioso que furacão possui . Já estamos garantidos na Libertadores de 2020 e esse é nosso objetivo conquista lá. Precisamos de um técnico que mantenha o mesmo ritmo de jogo do qual nos habituamos ,sermos ofensivos e trocando passes exitosos . Seria a hora de buscar um tecnico estrangeiro ou de darmos a chance ao que temos de melhor por aqui ? Nao sabemos o que a diretoria irá preferir mas caro torcedor podemos ter certeza que fará o certo.

Eu particularmente em dois jogos no comando do jovem Eduardo Barros gostei da proposta e da continuidade dada por ele ,tivemos aí grandes desfalques contra o São Paulo mas saímos vitoriosos. Dois jogos são poucos mas até o fim do brasileirão poderemos ver mais o trabalho dele pelo que vi já está agradando a maioria tirando a famosa “turma do amendoim ” afinal até Tiago era criticado por eles, mas graças a deus são minoria.

Eduardo Barros 34 anos jovem como o Tiago Nunes saberia levar o Furacão ao seu primeiro título da Libertadores ? Fica aí minha pergunta a ser respondida por quem quiser

Seguimos firmes e fortes ,obrigada Tiago Nunes, Boa sorte ao seu sucessor seja ele quem for

CONTRIBUA COM A GENTE, OLHE PARA BAIXO PIÁ DO DJANHO!




O Athletico já tem um novo técnico interino após a saída de Tiago Nunes, na tarde desta terça (5). Eduardo Barros irá comandar juntamente com Rogério Correa, técnico do sub-19, o time nas próximas partidas do Brasileirão, iniciando o trabalho já contra o Cruzeiro nesta quarta (6), às 21h30, na Arena da Baixada.

Eduardo Barros veio para o Furacão como auxiliar técnico de Fernando Diniz. Após a demissão do treinador, Barros continuou no Clube como coordenador metodológico das categorias de base e como coordenador técnico do profissional. Em março, o profissional assumiu a categoria sub-19 e desde junho era o Gestor de Desenvolvimento Técnico-Metodológico de todas as categorias do Furacão.

O profissional ficará na beira do campo por ter a Licença “A” da CBF, obrigatória para todos os treinadores da primeira divisão. Rogério Correa, zagueiro campeão brasileiro em 2001 e que comandava a equipe sub-19 nos últimos meses, irá auxiliá-lo. Correa só tem a licença “B” e não pode dirigir oficialmente o time.



O Athletico está finalmente dentro do G6 do Campeonato Brasileiro. Foi no sufoco e, na base da insistência, o Furacão venceu o CSA por 1×0, na noite deste domingo (3), na Arena da Baixada, chegou aos 46 pontos e assumiu a sexta posição na classificação da competição nacional. Em alta, o time rubro-negro vai tentar manter a boa fase e seguir entre os primeiros colocados no duelo desta quarta-feira (6), às 21h30, de novo no Caldeirão, contra o Cruzeiro, que também luta contra o rebaixamento.

ASSISTA OS MELHORES MOMENTOS DO JOGO



Novo mascote do Athletico, o Fura-Cão tem feito sucesso nas redes sociais e até na Baixada. Lançado no final de 2018, durante a mudança da identidade visual do clube, de Atlético-PR para Athletico, o cachorro tem um perfil nas redes sociais e se define como “vira-taças”.

O Fura-Cão faz parte de uma família de mascotes, com pai, mãe, filho e filha. Porém, só o cachorro caiu nas graças da torcida. O perfil no Twitter, lançado no último dia 9, tem mais de mil seguidores. Ao ser questionado sobre qual a raça, ele brincou: “vira-taças”.

Além de interagir com a torcida, o Fura-Cão também provoca os rivais. Após o 2 a 1 sobre o Fluminense no Maracanã, por exemplo, ele cutucou os críticos. “E diziam que sem meu tapetinho…”, em referência às críticas de que o Athletico não vence longe do gramado artificial da Baixada.

O mascote, inclusive, já saiu das redes sociais para as arquibancadas. Alguns torcedores têm levado o Fura-Cão de pelúcia – que custa R$ 144,90 – para a Baixada. “O Fura-cão é o melhor amigo do jovem athleticano”, diz a descrição sobre o mascote na loja virtual do clube.



O duelo desta quinta-feira (17), contra o Fluminense, às 21h, no Maracanã, pouco vale para o Athletico no Campeonato Brasileiro. O Furacão, campeão da Copa do Brasil e já está garantido na Libertadores do ano que vem, está longe de brigar pelo título e tão pouco ameaçado pelo risco de rebaixamento. Mas o duelo contra o tricolor carioca, além de trazer boas recordações, será especial para o técnico Tiago Nunes, que vai completar 100 jogos no comando do Furacão.

COMO VEM O FURACÃO
No grupo dos desfalques, o zagueiro Thiago Heleno, suspenso, e Nikão, ainda em fase de transição, não poderão ajudar o rubro-negro no Maracanã. Caso Bambu e Pedro Henrique não estejam aptos para o jogo, Tiago Nunes pode improvisar o lateral Madson para a dupla de zaga com Léo Pereira.

A provável escalação do Furacão para amanhã deve ser a seguinte: Santos, Madson, Leo Pereira, Pedro Henrique (Erick) e Márcio Azevedo; Wellington, Bruno Guimarães e Léo Cittadini; Rony, Marcelo Cirino e Thonny Anderson (Marco Ruben)

COMO VEM O TAPETENSE
O técnico Marcão contará com três reforços para a partida de hoje: o lateral Caio Henrique e o volante Allan, que serviram a seleção olímpica, e Ganso, suspenso na última rodada, estão à disposição para entrar em campo. Outra novidade é o zagueiro Frazan, que substitui Digão, machucado.

O Fluminense deve jogar com: Muriel; Gilberto, Nino, Frazan e Caio Henrique; Allan, Daniel e Ganso; Nenê Yoni González e João Pedro.

ONDE ASSISTIR
O jogo terá transmissão pelo GloboEsporte.com

FICHA TÉCNICA
Fluminense X Athletico

Local: Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro (RJ).
Data: Quinta-feira, 17 de outubro de 2019.
Horário: 21h.
Árbitro: Rodrigo D’alonso Ferreira (SC).
Assistentes: Neuza Ines Back (SP) e Thiaggo Americano Labbes (SP).
Árbitro de vídeo: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG).
Assistentes de VAR: Lucas Canetto Bellote (SP) e Francisco Chaves Bezerra Junior (PE).



O Athletico mais uma vez endureceu para cima do Flamengo, mas foi castigado com erros defensivos e com uma tarde inspirada do atacante Bruno Henrique, neste domingo (13), e foi derrotado pelo líder do campeonato, por 2 a 0, na tarde deste domingo (13), na Arena da Baixada, em jogo válido pela 25ª rodada do Brasileirão.

Com duas equipes que buscam intensidade e gostam de propor, quem esperava um bom jogo não se decepcionou. Mesmo contra um adversário organizado e que manteve a posse, o Athletico conseguiu criar, mas esbarrou em uma tarde inspirada do goleiro Diego Alves. O camisa 1 flamenguista foi exigido quatro vezes e trabalhou bem, salvando as ações dos mandantes. A melhor delas, aos 31 minutos, com uma defesa plástica, na gaveta, em cabeceio de Thiago Heleno.

Garantido lá atrás, o Rubro-Negro carioca criou boas chances no ataque. Aos 17, Léo Pereira derrubou Lucas Silva na área, o árbitro Braulio da Silva Machado marcou pênalti e voltou atrás após consultar o vídeo. Mas, na reta final, o gol finalmente saiu. Aos 44, Léo e Wellington se atrapalharam na saída de bola e a marcação alta de Jorge Jesus funcionou, com Bruno Henrique aproveitando para colocar os visitantes na frente.

O Furacão voltou com um ímpeto ofensivo e assustando o adversário. Aos dois minutos, Arão falhou e Thonny Anderson tentou aproveitar o presente, mas Diego Alves fez bela defesa. Pouco depois, o camisa 38 teve mais uma grande chance, mas o chute passou raspando a trave. Aos 12, Léo Pereira também tentou e mandou pela linha de fundo.

Sufocado com a pressão athleticana, o Flamengo demorou para desafogar e conseguir construir em busca do segundo gol. Aos 28, Everton Ribeiro tabelou com Arão e assustou, mas estava impedido. Já aos 31, Léo Pereira falhou e Bruno Henrique finalizou raspando a trave direita.

Mas a tarde era mesmo do camisa 27 do time carioca. Responsável pelo primeiro gol e pela melhor chance até então na etapa final, Bruno Henrique fechou o placar, aos 45, batendo de letra após cruzamento de Vitinho pelo lado esquerdo.



O Athletico Paranaense visitou na noite de ontem, quinta-feira (10), o Corinthians em partida válida pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2019. O empate pelo placar de 2×2, gols de Léo Cittadini e Erick pelo Furacão e de Gil e Mauro Boselli pelo time paulista, rendeu ao rubro-negro paranaense um ponto em um estádio que costuma receber de forma hostil as equipes visitantes.

Independentemente dos erros cometidos nas jogadas de bola parada que renderam os 2 gols do Corinthians, há algo de positivo a se destacar sobre o Furacão no confronto de ontem: a equipe continua competindo e em altíssimo nível.

Muito foi dito e escrito na mídia especializada sobre este final de 2019 do Athletico, que bastaria ao clube garantir os 45 pontos que teoricamente eliminariam o risco de rebaixamento e a partir daí o clube estaria virtualmente de férias até a próxima temporada.

Entretanto, muito se enganam aqueles que pensam dessa forma. O sucesso de 2020 em muitos aspectos depende e muito daquilo que se fará até o final de 2019. Para esclarecer essa afirmação, é importante destacar pelo menos 3 pontos fundamentais.

Primeiramente, o aspecto financeiro. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) paga uma premiação em dinheiro aos clubes pelo seu desempenho no campeonato nacional. Quanto mais alta a posição alcançada pelo clube na tabela de classificação, maior será o valor que chegará aos cofres do Furacão ao final do temporada a título de bonificação por desempenho.

Da mesma forma, uma parcela dos valores referentes aos direitos de transmissão também é dividida de maneira e premiar a performance nos clubes no torneio.

Logo, melhores resultados significarão mais dinheiro em caixa para o clube no próximo mercado de transferências. Consequentemente, mais dinheiro em caixa pode significar melhores jogadores chegando para somar qualidades ao já bastante qualificado elenco rubro-negro. E melhores jogadores aumentam também as chances do clube de conquistar novos títulos em 2020.

Um segundo aspecto é ser considerado é o técnico. Somente enfrentando com seriedade todos os adversários até o fim da temporada é que será possível avaliar com precisão e decidir com uma maior possibilidade de acerto as questões relativas à formação do elenco para 2020.

É preciso decidir quais jogadores pertencentes ao clube ficam para 2020, quais podem ser emprestados para que possam desenvolver seu potencial em outras equipes e quais devem ser dispensados. Será importante também avaliar quais dos jogadores emprestados por outros clubes merecem ter o empréstimo prorrogado ou serem adquiridos em definitivo pelo Athletico.

Há também os jovens jogadores do elenco do Furacão. Nomes como Khellven, Lucas Halter, Abner Vinícius, Erick e Vitinho, por exemplo. A reta final da temporada 2019 é o momento ideal para dar minutos e permitir que os jovens talentos rubro-negros adquiram experiência entre os profissionais em jogos competitivos.

Naturalmente, isso não poderia acontecer ao custo da competitividade da equipe. Entretanto, seria perfeitamente possível dar oportunidades em cada partida a um ou mais desses jogadores conforme o nível de exigência dos adversários.

Por fim, um último aspecto fundamental a ser destacado e que tem sido muito pouco lembrado é o da manutenção da competitividade. Competir no mais alto nível exige tenacidade, concentração e desempenho contínuos. Esse nível de competitividade não pode simplesmente ser desligado e religado a qualquer momento.

Não faltam no futebol nacional exemplos de fracassos e vexames históricos protagonizados por equipes campeãs que relaxaram e deixaram de competir após a conquista de um ou mais títulos.

Basta relembrar as vexatórias eliminações sofridas por Internacional e Atlético Mineiro para Mazembe e para Raja Casablanca, respectivamente, nas edições de 2010 e 2013 do Mundial de Clubes da FIFA ou o rebaixamento do Palmeiras em 2012 após a conquista da Copa do Brasil.

Aqueles que querem estar entre os maiores em qualquer esporte deve competir muito e sempre, não há qualquer espaço para o relaxamento quando o objetivo é o atingir o topo. Essa não é a hora de se deitar sobre as glórias alcançadas, é hora de arregaçar as mangas e trabalhar duro como se nada houvesse sido conquistado e não houvesse nada garantido para 2020.

A torcida ainda espera muito do Athletico, e em 2019. Sabe-se que o título brasileiro é impossível na atual situação, mas a fanática torcida rubro-negra quer o Furacão na posição mais alta possível ao término do competição.