Alguns dias atrás fomos pegos de surpresa com a saída de Tiago Nunes ,sabíamos que um dia isso iria acontecer porém não dá maneira como foi. Muitos apoiaram nosso ex técnico campeão que nos proporcionou tantas alegrias ,outros se sentiram traídos pelas “mentiras ” faladas pelo próprio nas coletivas mas  nem valem a pena a serem repetidas.  Como diria nosso saudoso Cazuza ” Tempo não para ” é fato ,não podemos ser “viúvas de Tiago Nunes ” passar dias se lamentando o  que passou passou seremos gratos ao espetacular trabalho feito por esse profissional, mas temos que  continuar e seguir com o projeto grandioso que furacão possui . Já estamos garantidos na Libertadores de 2020 e esse é nosso objetivo conquista lá. Precisamos de um técnico que mantenha o mesmo ritmo de jogo do qual nos habituamos ,sermos ofensivos e trocando passes exitosos . Seria a hora de buscar um tecnico estrangeiro ou de darmos a chance ao que temos de melhor por aqui ? Nao sabemos o que a diretoria irá preferir mas caro torcedor podemos ter certeza que fará o certo.

Eu particularmente em dois jogos no comando do jovem Eduardo Barros gostei da proposta e da continuidade dada por ele ,tivemos aí grandes desfalques contra o São Paulo mas saímos vitoriosos. Dois jogos são poucos mas até o fim do brasileirão poderemos ver mais o trabalho dele pelo que vi já está agradando a maioria tirando a famosa “turma do amendoim ” afinal até Tiago era criticado por eles, mas graças a deus são minoria.

Eduardo Barros 34 anos jovem como o Tiago Nunes saberia levar o Furacão ao seu primeiro título da Libertadores ? Fica aí minha pergunta a ser respondida por quem quiser

Seguimos firmes e fortes ,obrigada Tiago Nunes, Boa sorte ao seu sucessor seja ele quem for

CONTRIBUA COM A GENTE, OLHE PARA BAIXO PIÁ DO DJANHO!




Pergunta que não quer se calar ,o que está havendo com o Furacão? Será tá faltando de raça ao time de guerra ? São milhares de perguntas e dúvidas que veem aparecendo na cabeça do torcedor Athleticano .

Primeiro vamos lembrar do time campeão da Sul Americana de 2018 e de jogadores que foram fundamentais para essa conquista, Pablo e Raphael Veiga. Raphael Veiga era meia de criação uma das principais pontes de ligação ao gol, Pablo o atacante que já jogou de meia e saia para buscar jogo. Estou citando os dois para mostrar que uma das coisas que  está faltando no Athletico é  isso,um meia que ajude construir as jogadas e um atacante  saiba buscar o jogo é principalmente que saiba o que fazer com a bola quando se está na área

Ah mas e o Marco Ruben?  Marco Ruben é o atacante que se a bola não chegar nele não há Cristo que faça ele marcar. E  agora vamos lembrar do menino Lodi, a maioria dos gols do Ruben foram de jogadas ou assistências desse garoto . Mas não podemos passar a vida lamentando a saida dele ,precisamos é de jogadores supram essa necessidade porque é óbvio que  o Márcio Azevedo  não está fazendo isso . Então por que insistir com ele ? Caros torcedores aí já não sei responder, deve ser  teimosia do técnico que insistem em acreditar em certos jogadores , já que temos a disposição Adriano e Abner Vinicius o último sendo a contratação mais cara da história do Furacão pra ser banco ,é  isso mesmo banco ,confesso estou indignada e  tentando entender tal situação.

Por último e não menos esquecidos temos Camacho e o General  puxa que falta estão fazendo.  Camacho que foi criticado pela torcida estava fazendo a tal ponte para o gol ,o nosso General dispensa comentários não deixava passar quase nada ,porque cá entre nós nossa zaga tá uma mãe viu vamos acordar rapaziada.

Tá aí caro torcedor deixo esse texto para reflexão e cada um tirar sua própria conclusão.



O Athletico Paranaense anunciou na noite de ontem, segunda-feira (22), a contratação do experiente lateral-esquerdo Adriano, de 34 anos, que teve o seu contrato com o Besiktas encerrado no dia 30 de Junho deste ano. A torcida rubro-negra se mostra visivelmente ansiosa para ver o novo reforço em campo e curiosa para saber o que o experiente lateral-esquerdo pode acrescentar ao já qualificado elenco do Furacão.

 

Revelado pelo rival Coritiba, onde atuou até o ano de 2004, o jogador volta ao futebol brasileiro depois de 14 anos de uma carreira extremamente vitoriosa na Europa. Foram 24 títulos no total, duas Ligas dos Campeões, duas Copas da UEFA, 2 Mundiais de Clubes da FIFA, 5 ligas nacionais e 5 copas nacionais, além de mais 7 títulos oficiais de menor expressão e da conquista da Copa América de 2004 com a seleção brasileira.

 

Diante disso, as primeiras contribuições positivas de Adriano ao elenco do Athletico são a mentalidade vencedora e a experiência de um jogador acostumado a levantar troféus. Ao lado de El Comandante Lucho González, o lateral-esquerdo servirá como mais um exemplo aos jogadores mais jovens e menos experientes dos resultados que podem ser conquistados por meio de trabalho duro, profissionalismo e dedicação.

 

Entretanto, as contribuições de Adriano ao rubro-negro paranaense não se limitam a aspectos externos ao campo de jogo. Ao contratar o lateral o Furacão adquiriu um atleta de alto nível técnico, ambidestro – o que é algo muito raro para os padrões do futebol brasileiro – e altamente versátil.

 

Atuando sob as ordens de Pep Guardiola, Adriano ocupou de modo competente as posições de lateral-esquerdo, lateral-direito e até a de zagueiro em situações pontuais. Aqueles que acompanharam suas atuações na época sabem que se trata de um lateral completo, defensivamente bastante seguro e talentoso no apoio ao ataque, apresentando boa técnica tanto para efetuar cruzamentos como para disparar chutes de média e de longa distâncias.

 

Resumidamente, é possível que o Athletico Paranaense tenha reposto a perda de Renan Lodi – o melhor lateral-esquerdo atuando no futebol brasileiro até então – com outro jogador capaz de sustentar o mesmo status.

 

Por fim, o último aporte que Adriano faz ao Furacão e sua torcida é mais uma oportunidade achincalhar a já tão frustrada torcida do Coritiba, já que uma das mais talentosas crias das categorias de base coxa-branca decidiu voltar ao futebol brasileiro vestindo o manto sagrado do maior clube do Paraná, mesmo tendo sobre a mesa propostas e sondagens de vários clubes integrantes do assim chamado grupo de grandes clubes do Brasil.

 

E você, amigo leitor, o que achou da contratação de Adriano pelo Furacão? Aproveite e compartilhe sua opinião nos comentários. Rubro-negro é que tem raça!

Jornais esportivos pelo mundo, noticiaram a contratação de Adriano pelo clube Athletico Paranaense.

Veja algumas Capas

Mundo Deportivo:
El lateral brasileño Adriano Correia, que vistió la camiseta azulgrana durante cinco temporadas hasta su salida del club catalán en 2016, jugará con el Atlético Paranaense hasta finales de 2020. Después de abandonar el FC Barcelona, el lateral brasileño se trasladó a Turquía, a las filas del Besiktas, con el que terminó contrato en junio.

 

MARCA
Athletico Paranaense anunció de manera oficial la contratación de Adriano, futbolista brasileño que vistió las camisetas del Sevilla, Barcelona y que llega procedente del Besiktas.El lateral izquierdo de 34 años firmó un contrato que se extiende hasta finales de 2020 y llega para ocupar el lugar vacante que dejó la salida de Renan Lodi al Atlético Madrid.

 

 

OLÉ DA ARGENTINA
Boca zafó de enfrentar a un ex Barcelona
Adriano, bicampeón de la Champions League con el conjunto Culé, firmó con el Athletico Paranaense hasta diciembre de 2020. De todas maneras no podrá enfrentar al Xeneize porque no está inscripto en la lista de buena fe.

 

 

SPORT
El exazulgrana Adriano ficha por el Paranaense
El brasileño Adriano Correia ficha por el Atlético Paranaense a sus 34 años
El equipo de Curitiba apuesta por el exazulgrana para el Brasileirao y la Copa Libertadores

Aksam Ístabul
Beşiktaş ile sözleşmesi sona eren Adriano’nun yeni takımı resmen açıklandı.
Brezilya ekibi Athletico Paranaense, 34 yaşındaki sol bek ile 1.5 yıllık sözleşme imzalandığını duyurdu.
2016 yılında Barcelona’dan Beşiktaş’a transfer olan tecrübeli sol bek, geçen sezon siyah beyazlı forma ile 29 maça çıkıp 2 asist üretmişti.
Google translate: Adriano terminou seu contrato com Besiktas anunciou oficialmente a nova equipe.
A equipe brasileira do Atlético Paranaense anunciou que um contrato de 1,5 anos foi assinado com o lateral esquerdo de 34 anos.
Em 2016, o experiente lateral esquerdo que foi transferido do Barcelona para o Besiktas, na última temporada, camisa preta e branca e 29 assistências, produziu 2 assistências.

 

GLOBO ESPORTE
Athletico fecha contrato com lateral Adriano, ex-Barcelona
Clube negociava com jogador, que tinha interesse em voltar a Curitiba, sua cidade natal, e onde foi revelado pelo Coritiba. Contrato vai até o fim de 2020

 

 

ALDEIA NEWS
Sem comentários

Lateral curitibano de 34 anos teve passagens por Sevilla, Barcelona e Seleção Brasileira.

O Furacão acertou na noite desta segunda-feira (22) a contratação do lateral Adriano Correia, com quem negociava desde o inicio do mês de julho. O ex-Barcelona de 34 anos estava há 14 anos atuando na Europa e seu último clube foi o Besiktas, da Turquia.
Na briga pelo atleta, o Athletico disputou com Santos, São Paulo e equipes portuguesas como Porto e Sporting. Segundo o staff do jogador, o que teve grande peso para o avanço das negociações foi a estrutura do time paranaense, considerada por eles referência no Brasil.

Revelado pelo Coritiba, onde começou a jogar antes de completar 18 anos, o profissional se destacou e seguiu para o Sevilla em 2005. Adriano foi então transferido para o Barcelona em 2010, sendo campeão da Champions League e do Mundial de Clubes (ambos duas vezes) com a equipe. Na Copa do Mundo de Clubes da FIFA, em 2011, o lateral foi artilheiro do campeonato junto com Messi. No ano de 2016 foi contratado pelo Beşiktaş, da Turquia, em que jogou até este ano. Pela Seleção Brasileira, disputou o Torneio da Malásia sub-20, o Mundial sub-2o em 2003 e a Copa América em 2004.

Com a venda do lateral Renan Lodi para o Atlético de Madrid, o novo reforço é de suma importância para o Furacão. O técnico Tiago Nunes, quando soube das negociações com Adriano, brincou que iria “acender uma velinha” para que o lateral viesse a complementar a equipe rubro-negra. Adriano poderá jogar o Brasileirão e as quartas de final da Libertadores, caso o Athletico passe pelo Boca Juniors.

Antes de começar essa analise técnica, quero deixar bem claro que não tenho nada pessoal contra os jogadores avaliados nesse artigo, sou torcedor, sócio e apaixonado pelo time. Como amante e admirador do esporte bretão exponho aqui a minha opinião.

 

Márcio Azevedo:

Sua primeira passagem no Athletico foi muito boa, Mas como estamos falando de atualidade, sem arrego, sério não da mesmo. Márcio não cruza, não defende e tem sérios problemas para dominar a bola. Acho que ele venho para compor o elenco e com a saída do Lodi se viu obrigado a assumir a titularidade.
NOTA 3

 

Jonathan

Tem lampejos de bom futebol, ajudou muito o time no ano passado. Já esse ano é o rei do stories do instagram e futebol nada, joga um jogo, mal e porcamente e fica três sem jogar, agradeço o que fez mas acho que o seu tempo no Athletico já foi.
NOTA 4

 

Lucho

Obrigado el capitan, foi muito importante na conquista da Sula, mas deu né! Acho que está na hora de se aposentar ou ser coach motivacional de vestiário. Foi um grande jogador, marcou seu nome no Athletico e no futebol mundial, sempre seremos grato, mas deu! O cara joga 45 minutos mais ou menos e fica 3 jogos sem poder nem sentar no banco.
NOTA 4

 

Marcelo Cirino

Era a nossa estrela em 2013/2014, sua primeira passagem pelo Athletico foi muito boa, foi vendido para o Flamengo e aí começa a decadência do seu futebol. minha opinião é que o jogador se deslumbrou com os holofotes cariocas. não tendo um bom rendimento no time do apito o jogador retorna ao furacão tentando reencontrar o seu bom futebol, foi importante para o time no ano de 2018 mas acabou perdendo a titularidade para o o bom jogador Roni. Hoje um jogador normal que faz um gol e erra 5, quem vê o Marcelo Cirino em campo parece um jogador sem vontade alguma de jogar, tipo empregado que só está há espera do dia 1 para receber o salário.
NOTA 3

 

Braian Romero

Esse jogador é uma verdadeira incógnita, não sei se ele não teve ás devidas oportunidades. Só sei que ás vezes que vi ele jogar, não rendeu nada. Talvez seja um leão nos treinos, já em jogo ainda não demostrou o seu futebol e pelo andar da carruagem jamais veremos.
NOTA 2

 

Tomás Andrade

Pensei que substituiria o Rafael Veiga a altura, só pensei. Se o cara fosse pica o River não tinha liberado né? Não jogou bem no galo, o River emprestou para o furacão e aí…. Nada aconteceu, 70% dos passes são errados, não chuta, acha que tem que entrar com bola e tudo no gol. Resumindo, acho que é um argentino nutella.
NOTA 3

 

Fazer o que?

Infelizmente esse é o material humano que o TN tem em mãos para trabalhar, enquanto escrevo esse artigo fiquei sabendo que o o CAP comprou Abner, promessa da Ponte Preta, ”promessa” ok. O garoto não vai chegar e ser o novo Lodi, até porquê isso só acontece uma vez na vida.
O ano que era para ser de glórias vai se resumir em uma pífia participação no campeonato brasileiro.

Termino aqui minha analise técnica, se concordou ou não? deixe seu comentário abaixo ok.

 

Diz a sabedoria popular que a capacidade de aproveitar as oportunidades que se apresentam é o que determina o nível de sucesso que cada um alcançará na vida. A frase pode ser meio surrada, mas em se tratando dos reflexos do ano de 2019 no futuro do Athletico Paranaense, ele não poderia ser mais precisa.

 

A OPORTUNIDADE

 

A reunião em um mesmo elenco de Bruno Guimarães, Renan Lodi e Pereira – as três maiores revelações do clube em sua história recente – proporcionou ao Furacão uma chance ímpar de assumir um novo patamar no cenário do futebol brasileiro.

 

Considerando informações veiculadas na mídia nacional e internacional, as vendas desses três jogadores poderão fazer chegar aos cofres do rubro-negro paranaense a impensável quantia de 70 milhões de Euros (cerca de 343 milhões de Reais), da qual o Athletico receberá a maior parte.

 

O recebimento de um valor como esse pode se revelar a oportunidade tão aguardada pela torcida rubro-negra para que o Furacão dê um novo salto em seu desenvolvimento e passe a disputar – e a conquistar – títulos de maneira consistente.

 

A DIFICULDADE

 

Mesmo considerando o enorme aporte financeiro decorrente de tais negociações, esperar que o Athletico enfrente em aspectos financeiros clubes como Flamengo ou Palmeiras é um mero devaneio. A enorme diferença existente entre as capacidades de arrecadação do Furacão e as desses clubes torna essa proposta algo absolutamente inviável, um projeto desportivo fadado ao fracasso.

 

Para ficar em um único exemplo, o Flamengo conta com cerca de 32 milhões de torcedores que lhe garantem uma renda de aproximadamente 654 milhões de Reais, enquanto o rubro-negro paranaense dispõe de em torno de 2,5 milhões de torcedores que possibilitam uma renda de por volta de 197 milhões de Reais.

 

Financeiramente, é uma batalha perdida. O Furacão não equipararia a renda do Flamengo nem se negociasse em uma mesma temporada Bruno Guimarães, Renan Lodi e Léo Pereira. Entretanto, existe uma alternativa capaz de equilibrar essa equação.

 

UM MODELO A SER SEGUIDO

 

Onde não é possível vencer pela força bruta, é necessário usar de astúcia. Para que o Athletico atinja em um futuro próximo o sucesso que a sua torcida espera, é indispensável ser capaz de produzir mais com menos recursos. Há na Europa um clube que é um modelo de sucesso dessa abordagem, o Borussia Dortmund.

 

Incapaz de competir financeiramente com o Bayern de Munique, o Dortmund se reinventou para se transformar em um clube formador e que investe seus recursos prioritariamente na contratação de jovens promessas de outros clubes.

 

Ao desenvolver as jovens promessas até que se tornem craques, o clube do estado da Renânia do Norte-Vestfália colhe o retorno técnico de seu projeto e disputa temporada após temporada o título da Bundesliga mesmo contra um adversário infinitamente mais poderoso como o Bayern.

 

Quando o desenvolvimento desses jovens craques está completo, o Dortmund os negocia por somas altíssimas e reinveste uma parte dos valores recebidos na contratação de novas jovens promessas, o que mantém o ciclo virtuoso girando.

 

Para facilitar a compreensão, cito um exemplo recente. Formado pelas categorias de base do Borussia Dortmund, o norte-americano Christian Pulisic foi negociado com o Chelsea, da Inglaterra, por 64 milhões de Euros no dia 2 de Janeiro do ano corrente. Com os recursos decorrentes da operação, o clube contratou Julian Brandt, meia de 23 anos do Lekerkusen, por 25 milhões de Euros e Thorgan Hazard, destaque do Borussia Monchengladbach, por 25,5 milhões de Euros.

 

É bastante possível – até provável – que pelo menos um dos jogadores citados, ao atingir o nível mais alto de seu desenvolvimento, também seja negociado e dê continuidade ao projeto do clube.

 

UMA POSSÍVEL SOLUÇÃO

 

Para alcançar o sucesso que se espera do clube, o Furacão deve abandonar a ideia de competir financeiramente a curto e médio prazos com clubes como o Flamengo e o Palmeiras. Transformar-se um clube com a capacidade de arrecadação suficiente para fazer frente a essas equipes deve ser um projeto de longo prazo.

 

No estágio em que o Athletico atualmente se encontra, a melhor abordagem é centralizar seus esforços em formar jogadores nas categorias de base do clube, contratar as jovens promessas de equipes economicamente menos poderosas e desenvolver esses jogadores, usando os recursos provenientes de eventuais vendas manter esse projeto desportivo e desenvolver o clube em termos econômicos.

 

E essa é a grande oportunidade rubro-negra, as quantias relativas às eventuais negociações de Bruno Guimarães e Léo Pereira, além dos valores já recebidos pela venda de Renan Lodi ao Atlético de Madrid, podem garantir que a transição rumo a esse novo modelo seja segura e tranquila.

 

A diretoria tem nas mãos os futuro do clube, resta saber se esse grupo de jogadores e o ano de 2019 representarão na história do Furacão uma virada rumo a um futuro ainda maior e mais vitorioso ou somente uma oportunidade como algumas outras que passaram por aqui.

O Athletico enfrentou na data de hoje, 8 de Junho (sábado), o Palmeiras em jogo válido pela 8ª rodada do Brasileirão 2019. A derrota pelo placar de 1×0 – gol de Raphael Veiga – manteve o Furacão com os mesmos 10 pontos na tabela de classificação. Ocupando momentaneamente a 10ª colocação, o rubro-negro paranaense pode perder até duas posições a depender dos resultados de Ceará (que recebe o Bahia na noite de hoje) e Goiás (que recebe a Chapecoense na próxima segunda-feira, dia 10 de Junho).

 

Haveria muitos assuntos relativos ao jogo de hoje que poderiam ser tratados nesse texto, mas – considerando a forma como a derrota aconteceu – me vejo quase obrigado a abandonar os aspectos técnico-táticos da partida e focar a análise em dois outros pontos fundamentais: a escolha da comissão técnica em poupar jogadores mais uma vez e a evidente discrepância entre a qualidade dos titulares do Athletico e de alguns de seus reservas.

 

Primeiramente, causa certa estranheza a recorrente necessidade de poupar jogadores de uma equipe que até o dia 28 de Abril, data da estreia do Furacão no Campeonato Brasileiro, havia jogado a impressionante e extenuante marca de 5 partidas oficiais após uma longa pré-temporada. Desde então o clube entrou em campo 12 vezes em 41 dias (média de uma partida a cada 3,41 dias) – incluindo confrontos decisivos por Libertadores da América, Recopa Sulamericana e Copa do Brasil – sendo que em 4 dos 7 jogos disputados pelo Athletico no Campeonato Brasileiro a equipe titular foi parcial ou integralmente preservada. Os confrontos com a Chapecoense na Arena Condá, o Corinthians na Arena da Baixada, o Flamengo no Maracanã e o Palmeiras no Allianz Parque tiveram os reservas em campo, ocasiões em que o clube conquistou apenas 1 dentre os 12 pontos possíveis.

 

Naturalmente, não se pode expor os jogadores a toda uma sequência de partidas como essa sem aumentar significativamente o risco de lesões e diminuir o rendimento físico do elenco, mas tamanho cuidado parece um pouco exagerado. O Campeonato Brasileiro é uma competição fundamental no calendário rubro-negro em 2019. Pela primeira vez em muito tempo o clube tem um elenco e uma equipe capazes de fazer uma excelente campanha, mas essa possibilidade se afasta rapidamente a cada ponto que o Furacão deixa pelo caminho ao negligenciar confrontos diretos com rivais importantes. Não se deve esquecer também que a classificação final do Athletico na competição influenciará – dentro do novo sistema de distribuição de direitos de imagem – na quantia que o clube receberá a título de direitos de transmissão.

 

QUESTIONAMENTOS AOS ATHLETICANOS:

Não seria importante que o planejamento tivesse possibilitado a presença dos titulares em campo nos confrontos com Flamengo e Palmeiras, os dois elencos tecnicamente mais fartos do futebol brasileiro, ambos fora de casa?

Não seria possível poupar os jogadores num sistema de análise individual de necessidade, poupando mais os jogadores veteranos como Lucho González e Jonathan e menos jogadores jovens e fisicamente aptos como Bruno Guimarães e Rony?

Seria impossível aproveitar a aproximação da pausa para a Copa América para fazer uma pequena sequência de jogos com o time principal e acumular pontos na tabela, aproveitando o hiato no calendário para descansar e recuperar os jogadores?

 

Deixo que cada faça a sua própria análise, mas a abordagem displicente adotada pelo Furacão no Brasileirão parece um equívoco grave de avaliação que pode vir a custar caro em algum momento no futuro.

 

Outro aspecto fundamental a apontar é grande diferença de qualidade existente entre alguns titulares e seus reservas. Jonathan é um lateral que – embora veterano – possui qualidades técnicas e inteligência tática que seu reserva imediato, Madson, não demonstra quando está em campo. Renan Lodi é o melhor lateral-esquerdo atuando no futebol brasileiro – e provavelmente sulamericano – enquanto o seu reserva, Márcio Azevedo, é um jogador veterano de cujas atuações a torcida rubro-negra se vê cada vez mais enojada. Marco Ruben sequer tem um substituto no elenco do clube, é o único centroavante de ofício do plantel.

 

Mais do que suprir eventuais perdas – o que é absolutamente fundamental -, a torcida athleticana espera que a diretoria se movimente durante a pausa no calendário para a Copa América para aumentar a qualidade e a extensão do elenco do Athletico, impedindo que que a presença em campo de um ou outro reserva não custe ao maior clube do Paraná pontos na tabela do Campeonato Brasileiro ou – ainda pior – cause a eliminação do clube na Copa do Brasil e/ou na Copa Libertadores e aumentando as possibilidades do clube de conquistar mais títulos importantes em 2019.

Bergson

Menos de 20 dias após a conquista inédita da Sul-Americana, Bergson recebeu a notícia que seria aproveitado no elenco de aspirantes durante o Campeonato Paranaense. O atacante teve altos e baixos durante o estadual, mas marcou seis gols e foi o vice-artilheiro. Bergson não será aproveitado no time principal por ser muito fominha, rescindiu coacertou com o contrato com o Athletico e acertou com o Ceará.

 
 

Marquinho

Fora dos planos de Tiago Nunes, meia Marquinho confirma saída do Athletico o Jogador procura outro clube para a sequência da temporada de 2019, acho que vai para o Operário.

 
 

Athletico empresta cinco jogadores para o Paraná

Lucas Macanhan, Eder, João Pedro, Matheus Anjos e Bruno Rodrigues vão jogar a Série B
A parceria estava sendo cogitada desde o término do Campeonato Paranaense e foi definida após o título do Athletico sobre o Toledo. Eder, Matheus Anjos e João Pedro eram pedidos da diretoria do Paraná. Já Lucas Macanhan e Bruno Rodrigues são atletas que foram incluídos no negócio a pedido da diretoria rubro-negra e aceitos pela diretoria do Paraná.

 
 

HERNANE BROCADOR

O Athletico entrou na disputa pelo atacante Hernane Brocador, artilheiro do time Pernambucano. De acordo com ás fofocas do mercado, o Furacão buscou as condições para tirar o jogador do Sport e, ainda segundo eles, a negociação pode avançar depois que o clube foi campeão do Campeonato Pernambucano.

Rolando Blackburn

Athletico tem interesse na contratação de artilheiro do The Strongest, atacante Rolando Blackburn já marcou 16 gols em 2019
O Athletico segue olhando para o mercado sul-americano em busca de reforços para a disputa da Série A e da sequência da Libertadores. De acordo com o site TVMAX, do Panamá, o nome que interessa ao Furacão é o do atacante panamenho Rolando Blackburn, artilheiro do The Strongest, da Bolívia.

 

 

De Saída

Bergson e Marquinhos devem sair do Athletico após o estadual. Enquanto o meio-campista tem o contrato perto do fim, o atacante não faz parte dos planos de Tiago Nunes
Bergson deve ser emprestado para o Ceará .

 

 

Pode Chegar

Athletico fica perto de trazer promessa do Juventude. Denner é da base do Juventude e foi um dos destaques do time na fraca campanha da equipe no Gauchão. Com 14 jogos na temporada, ele marcou dois gols. A proposta é que o jogador, apesar de já assinar com o Furacão, só chegue ao Athletico depois da Série C do Campeonato Brasileiro. Isso porque ele é uma peça fundamental para o time gaúcho, que quer retornar à Série B.