Continuamos com nosso especial sobre a conquista da Copa do Brasil! Desse vez pedimos aos torcedores do rubro-negro, para nos enviar a gravação da sua comemoração.
Já adianto que é emocionante, da o play e se prepara para se emocionar mais uma vez.

DE UMA AJUDA PRA GENTE CONTINUAR FAZENDO ESSE CONTEÚDO LEGAL




Viagem
O Athletico chegou na tarde de ontem em Porto Alegre e teve que cancelar a visita ao Beira-Rio, prevista para a tarde de ontem, por atraso no desembarque. As operações na pista do Aeroporto Salgado Filho estavam suspensas pelo risco de raios. Com isso, o Furacão – que tinha feito um treino de manhã, ainda no CT do Caju – foi do aeroporto direto para o hotel.

Babacas
O hotel onde o Athletico está concentrado em Porto Alegre teve foguetório na madrugada desta quarta-feira (18), dia da final da Copa do Brasil contra o Internacional. A reportagem da Banda B filmou com exclusividade a ação de torcedores do Inter que ficaram quase dois minutos soltando fogos.
O foguetório começou por volta das 2h40 e teve até bateria para atrapalhar o sono dos jogadores do Athletico e retornou às 8h45. As ações aconteceram próximo do Hotel Sheraton, no bairro Moinhos do Vento, local em que a delegação está hospedada.

Premiação
Além do troféu, a disputa é marcada pela premiação fora do padrão: quem vencer o torneio mata-mata, pega R$ 52 milhões pela façanha.

Como vem o Inter?
A ideia do treinador Odair Hellmann é repetir a equipe que entrou em campo na Arena da Baixada. Porém, D’Alessandro sentiu problema muscular na coxa direita no treino de domingo e virou dúvida.
Possível Escalação: Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso, Edenílson, Patrick e D’Alessandro; Nico López e Guerrero.

Como vem o Athletico?
O Furacão não conseguiu visitar o Beira-Rio na véspera do jogo por conta de um atraso no desembarque da equipe em Porto Alegre. O técnico Tiago Nunes, porém, não deve promover surpresas, e a escalação deve ser a mesma do 1 a 0 na Arena da Baixada.
Possível Escalação: Santos; Khellven, Léo Pereira, Robson Bambu e Márcio Azevedo; Wellington, Léo Cittadini e Bruno Guimarães; Nikão, Rony e Marco Ruben.

Transmissão
A partida terá transmissão da TV Globo (para todo o país), SporTV e Premiere

Hora e Local:
Local: Beira-Rio (Porto Alegre-RS)
Horário: 21h30

Arbitragem:
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Bruno Raphael Pires (Fifa-GO)
VAR: Bráulio da Silva Machado (Fifa-SC)

Tempo em Porto Alegre
Nublado com chuva de manhã. Sol e diminuição de nuvens à tarde. Noite com muitas nuvens.



O Athletico fez sua parte em campo, ficou aquele gostinho de podia ter feito mais um! Fora isso a torcida rubro-negra foi um show a parte. Acompanhe esse especial sobre a torcida do Furacão!

Já pela manhã, as bandeiras do Furacão já estavam hasteadas por toda cidade.

 

O dia correu cheio de expectativas, por volta do meio dia já tinha torcedores nos arredores da Arena da Baixada.

 

Torcida recebe ônibus do Athletico com rua de fogo. Com sinalizadores, cantos e muito barulho, torcedores recepcionam com festa a delegação do Furacão para a decisão contra o Internacional, pelo jogo de ida da final da Copa do Brasil.



  

Dentro do estádio a Torcida do Furacão, deu outro show! Vitória do Athletico por 1 a 0 sobre o Internacional, registrou 38.490 pagantes, com 39.772 presentes e R$ 2.685.790,00 de renda



 
Agora é continuar na torcida para mais uma conquista!


Em primeiro lugar Obrigado Thiago Nunes, isso mesmo que você leu! Gostaria de parabenizar nosso técnico por acreditar que era possível ganhar lá até o ultimo minuto, obrigado Thiago Nunes por tirar leite de pedra, por tentar fazer o impossível, sei que no jogo de ontem não foram feitas às melhores escolhas, mas você martelou, lutou e caiu… Não se preocupe, nós estamos aqui para ajudar você a se levantar.

Parabéns Athletico, sim parabéns meu rubro-negro! Ontem e hoje acompanhei a movimentação nas redes sociais e vi a massa inflamada, principalmente a turma do cheirinho querendo tirar um sarro do CAP, sério isso? Hahahaha gostaria de ter metade do investimento que o cheirinho tem, um time com esse poder de compra se classificar borrando-se contra o EMELECA.
Acho que o Athletico atingiu outro patamar no cenário nacional e internacional, quando imaginaríamos ler um um jornal argentino estampado na sua CAPA ( cuidado con El Paranaense )?
Pois é meu amigos, acabou aquele timinho querido o time legal, acabou aquele dizer… No estado do Paraná eu gosto do Athletico.
Vaza pilaco, quem tem que gostar do Athletico somos nós athleticanos e guenta aí seu mix de bacalhau com pó de arroz, cheirinho podre que a gente bota fogo e manda se ferrar. Ou porco presidiário transvestido de Mazama gouazoubira.

Para ficar cascudo temos que criar cascos e só vai acontecer quando participarmos mais e mais vezes de grandes competições, sei que foi um duro golpe ontem, agora é levantar a cabeça e se preparar para o próximo round.

Gostaria de dizer aqui mais uma vez: Obrigado Thiago Nunes, Parabéns Athletico

Em jogos inesquecíveis de hoje, vamos relembrar a goleada que o Furacão aplicou no time do cheirinho em pleno Maracanã.

Um massacre nos primeiros minutos de um lado, uma reação expressiva de outro e uma vitória histórica para o Atlético-PR. Na noite desta quinta-feira, o Furacão soube sair do sufoco, colocar o Flamengo na roda, virar para 4 a 2 e, pela primeira vez na história, derrotar o Rubro-Negro carioca dentro do Maracanã.

Veja os gols e os melhores momentos do jogo.

Antes de começar essa analise técnica, quero deixar bem claro que não tenho nada pessoal contra os jogadores avaliados nesse artigo, sou torcedor, sócio e apaixonado pelo time. Como amante e admirador do esporte bretão exponho aqui a minha opinião.

 

Márcio Azevedo:

Sua primeira passagem no Athletico foi muito boa, Mas como estamos falando de atualidade, sem arrego, sério não da mesmo. Márcio não cruza, não defende e tem sérios problemas para dominar a bola. Acho que ele venho para compor o elenco e com a saída do Lodi se viu obrigado a assumir a titularidade.
NOTA 3

 

Jonathan

Tem lampejos de bom futebol, ajudou muito o time no ano passado. Já esse ano é o rei do stories do instagram e futebol nada, joga um jogo, mal e porcamente e fica três sem jogar, agradeço o que fez mas acho que o seu tempo no Athletico já foi.
NOTA 4

 

Lucho

Obrigado el capitan, foi muito importante na conquista da Sula, mas deu né! Acho que está na hora de se aposentar ou ser coach motivacional de vestiário. Foi um grande jogador, marcou seu nome no Athletico e no futebol mundial, sempre seremos grato, mas deu! O cara joga 45 minutos mais ou menos e fica 3 jogos sem poder nem sentar no banco.
NOTA 4

 

Marcelo Cirino

Era a nossa estrela em 2013/2014, sua primeira passagem pelo Athletico foi muito boa, foi vendido para o Flamengo e aí começa a decadência do seu futebol. minha opinião é que o jogador se deslumbrou com os holofotes cariocas. não tendo um bom rendimento no time do apito o jogador retorna ao furacão tentando reencontrar o seu bom futebol, foi importante para o time no ano de 2018 mas acabou perdendo a titularidade para o o bom jogador Roni. Hoje um jogador normal que faz um gol e erra 5, quem vê o Marcelo Cirino em campo parece um jogador sem vontade alguma de jogar, tipo empregado que só está há espera do dia 1 para receber o salário.
NOTA 3

 

Braian Romero

Esse jogador é uma verdadeira incógnita, não sei se ele não teve ás devidas oportunidades. Só sei que ás vezes que vi ele jogar, não rendeu nada. Talvez seja um leão nos treinos, já em jogo ainda não demostrou o seu futebol e pelo andar da carruagem jamais veremos.
NOTA 2

 

Tomás Andrade

Pensei que substituiria o Rafael Veiga a altura, só pensei. Se o cara fosse pica o River não tinha liberado né? Não jogou bem no galo, o River emprestou para o furacão e aí…. Nada aconteceu, 70% dos passes são errados, não chuta, acha que tem que entrar com bola e tudo no gol. Resumindo, acho que é um argentino nutella.
NOTA 3

 

Fazer o que?

Infelizmente esse é o material humano que o TN tem em mãos para trabalhar, enquanto escrevo esse artigo fiquei sabendo que o o CAP comprou Abner, promessa da Ponte Preta, ”promessa” ok. O garoto não vai chegar e ser o novo Lodi, até porquê isso só acontece uma vez na vida.
O ano que era para ser de glórias vai se resumir em uma pífia participação no campeonato brasileiro.

Termino aqui minha analise técnica, se concordou ou não? deixe seu comentário abaixo ok.

Na minha opinião….
Temos 2 clubes para torcer, 2 Athléticos, um dentro de casa, vencedor, e um fora, perdedor.
Este dentro de casa, o vencedor, todos conhecemos, por incrível que pareça o perdedor também, mas aonde esta a diferença do vencedor e ganhador? Eis a questão…..
para não dar palestra por escrito vou citar alguns pontos que penso ser fundamentais entre as duas equipes com os mesmos jogadores na maioria das vezes, então não vou discutir qualidade técnica de jogador, pois dentro de casa, quando ha poucas mudanças, citaria ate duas ou três, o time da conta do recado.
Vamos começar com o fator campo, o sintético favorece os times mais habilidosos e rápidos, e existem muitos times iguais ou melhores que nós nas competições que disputamos e mesmo assim ganhamos, claro que também facilita para quem treina nele e joga mais vezes, como qualquer time que jogue mais com grama alta ou baixa, molhado ou seco, grama fina e grossa, no calor e no frio, altitude, enfim, fatores que cada time escolhe para jogar na sua casa que traga beneficio em relação ao adversário. No nível que o Athlético joga hoje não existe grama ruim nos estádios, por sinal são excelentes, sem buracos, drenagens perfeitas, etc…. Não acredito que o campo de jogo faça a diferença.
Em casa o time troca quase o dobro de passes que fora, este é um motivo, como resultado menos posse bola que o adversário, trazendo o time adversário para cima do nosso time, como o CAP é um time que ataca muito bem(em casa) a defesa é bem menos acionada e assim corre menos risco de tomar gol, fora é ao contrario, um time acostumado a atacar tenta se defender, recuado, que não é a característica do time, se defendendo, sem posse de bola esperando raras oportunidades de gol, poucos chutes a gol, assim diminuído bastante as chances.
Jogadas ensaiadas não funcionam, podem até treinar mas não esta adiantando, qual foi o ultimo gol de falta? e de cobrança de escanteio? quem bate as faltas? não existe cobrador oficial, e quem acha que vai bater bem pega a bola e chuta, se for para cruzar temos os batedores, e o ¨achismo¨ esta matando estas bolas paradas.
Time com substituições pontuais, no mesmo tempo de jogo com os mesmos jogadores, nenhuma surpresa, treinadores adversários já sabem o tempo e a substituição a ser feita pelo CAP, (exceção de contusões), facilitando novamente a vida dos treinadores adversários.
Em casa Lucho é um líbero, joga avançado, joga livre com a posse de bola, cobre volantes e laterais na marcação, fora é um volante limitado, prendendo o time no próprio campo, pois avança muito pouco, e sua qualidade e inteligência na frente faz falta.
Na arena Renan é mais meia\atacante e Jonathan meia direita, jogamos sem laterais, com 2 zagueiros e o volante saindo com a bola pelo meio na frente da zaga compondo o meio campo, as vezes este volante é o 3º zagueiro para que os outros dois zagueiros possam cobrir as laterais, fora temos 2 zagueiros, as vezes 3, com um dos volantes recuando na linha da zaga e 2 laterias que só sobem até a marcação chegar, param de apoiar e esperam o contra ataque sozinhos na lateral do campo.
Outro fator importante é o cansaço psicológico e físico que o time da na arena, com a posse de bola e a troca de passes um pouco mais rápida, ou moderada depende do andamento e placar do jogo, faz com que o adversário corra atras da marcação, e um desgaste físico muito grande correr assim, e para piorar depois de um certo tempo vem o desgaste psicológico, muito tempo sem pegar na bola o jogador começa a se irritar ou ficar tenso, pois afinal é um jogo com a bola, sem ela é chato ficar correndo.
Temos respeito? Responda você, quem é o CAP dentro da arena? quem é fora? Direi por mim, um gigante digno de respeito por qualquer time das Américas, fora um time simples, que não da medo devido as estatísticas. Tem fama de derrotado fora de casa.
Um ponto importante é a torcida, mesmo com a falta que a torcida organizada FANÁTICOS faz, a torcida empurra, ajuda, aplaude e os jogadores se sentem a vontade de jogar aqui.
Uma frase de Vanderlei Luxemburgo resume bem, o qual não sou muito fã, mas é um ser extremamente inteligente, fala:
¨O MEDO DE PERDER TIRA A VONTADE DE GANHAR¨.
Esta frase diz muito a respeito do nosso time, não dos jogadores, mas sim da comissão técnica e gerencia de futebol.
Para finalizar já que vamos perder mesmo fora de casa, vamos ATACAR.

Olá, vamos falar hoje sobre a evolução do nosso querido clube, em poucas palavras, ” quem” é Athlético?
Na minha opinião…….
O início:
Um clube dos Paranaense, como está no nome, um clube formado de 2 outros, pobre, mas aberto a todos, nasceu sem identidade, com dificuldades e começou a pegar no tranco anos depois, com algumas vitórias sobre rivais importante no estado veio o 1o reconhecimento, já colocado como o maior rival do Coritiba, foi indo com vitórias e derrotas, algumas muito sofridas contra times pequenos, no aspecto nacional não tinha reconhecimento, pois não fazia por onde, com raras exceções de grandes times em anos aleatórios, anos 80 já começou a mudar a história, ganhando de grandes clubes e aparecendo mais como um adversário respeitado, mas não muito temido, e para infelicidade da nação Athleticana o rival foi campeão Brasileiro no meio da década, trazendo menos holofotes para nós.

O meio:
Em 1995 muda tudo após uma derrota significativa, muda tudo, muda todos, muda a história, com muita dificuldade e paciência veio o começo de uma nova era, a construção foi iniciada, como os melhores times que tivemos antes de 95 vem os melhores times ano após ano, disputando e chegando em posições importantes como vice da libertadores, campeão da sul-americana, campeão Brasileiro, etc….. trazendo novidades como disputar regional com time reserva como um laboratório, enquanto o principal está treinando para as disputas mais acirradas, sendo mais respeitado e temido no âmbito nacional e internacional, principalmente na América. Não mais um grande time em um ano e no outro não saberíamos como ia ser, se ia disputar e ganhar ou ser rebaixado.
Foi criando durante estes anos identidade própria, mudando várias vezes de uniforme, escudo,e até estádio (Pinheirão), hoje o Athlético é único.
Esta geração que nasceu agora terá muita alegria e aumentará muito o número de torcedores, pois todos gostamos de vencer e torcer para um time vencedor.
Hoje a Fundação CAP tem mais 200 escolinhas em 19 estados com mais de 20000 alunos sendo 10000 não pagam, é um serviço social prestado pelo Athlético, tem também escolinhas em 5 Países, Índia, kennya, etc….. Em comunidades carentes, fornecendo todo apoio necessário a estas crianças. Ponto mas não final, está história vai longe ainda e sempre melhorando.
O Fim:

??????????????????????