Pergunta que não quer se calar ,o que está havendo com o Furacão? Será tá faltando de raça ao time de guerra ? São milhares de perguntas e dúvidas que veem aparecendo na cabeça do torcedor Athleticano .

Primeiro vamos lembrar do time campeão da Sul Americana de 2018 e de jogadores que foram fundamentais para essa conquista, Pablo e Raphael Veiga. Raphael Veiga era meia de criação uma das principais pontes de ligação ao gol, Pablo o atacante que já jogou de meia e saia para buscar jogo. Estou citando os dois para mostrar que uma das coisas que  está faltando no Athletico é  isso,um meia que ajude construir as jogadas e um atacante  saiba buscar o jogo é principalmente que saiba o que fazer com a bola quando se está na área

Ah mas e o Marco Ruben?  Marco Ruben é o atacante que se a bola não chegar nele não há Cristo que faça ele marcar. E  agora vamos lembrar do menino Lodi, a maioria dos gols do Ruben foram de jogadas ou assistências desse garoto . Mas não podemos passar a vida lamentando a saida dele ,precisamos é de jogadores supram essa necessidade porque é óbvio que  o Márcio Azevedo  não está fazendo isso . Então por que insistir com ele ? Caros torcedores aí já não sei responder, deve ser  teimosia do técnico que insistem em acreditar em certos jogadores , já que temos a disposição Adriano e Abner Vinicius o último sendo a contratação mais cara da história do Furacão pra ser banco ,é  isso mesmo banco ,confesso estou indignada e  tentando entender tal situação.

Por último e não menos esquecidos temos Camacho e o General  puxa que falta estão fazendo.  Camacho que foi criticado pela torcida estava fazendo a tal ponte para o gol ,o nosso General dispensa comentários não deixava passar quase nada ,porque cá entre nós nossa zaga tá uma mãe viu vamos acordar rapaziada.

Tá aí caro torcedor deixo esse texto para reflexão e cada um tirar sua própria conclusão.



” Atacante Silencioso ” segundo Tiago Nunes, Marco Ruben chegou ao Furacão mostrando que não esta para brincadeiras e nos momentos de decisões esteve mais que presente. Do tipo que chega sem o adversário perceber mas se tiver a chance é “bola na gaveta”. O atacante tem 9 gols em 14 jogos, sendo que 4 deles foram contra o Boca Juniors, jogo que ficará marcado na história do clube e na memória do torcedor.

Marco Ruben é uma das promessas do Furacão, jogador fundamental para o elenco, conquistou o seu espaço ao time e o carinho da torcida.

Nessa última quarta feira, noite de decisão da Copa do Brasil, Marco Ruben foi o nosso ” Salvador da Pátria”, quando tudo parecia estar se encaminhando para os pênaltis , eis que o nosso herói surge para fazer o gol da classificação , fazendo com que o caldeirão explodisse de alegria e esperança. Tenho certeza que ouviremos muito o seu nome ecoar pela Arena da Baixada.

“Grita comigo Torcedor  Marcooo Ruben”

Quando criança, jogou na escolinha de futebol do Coritiba Foot Ball Club e estreou no profissional como jogador do Clube Atlético Ferroviário, em 1962. Entre 1962 e 1964, jogou no “Boca Negra” (apelido do Ferroviário). Em 1964, foi transferido para o Botafogo Futebol e Regatas, onde ficou até 1967. Entre 1967 e 1968, jogou no Botafogo Futebol Clube.

Contratado pelo presidente do Clube Atlético Paranaense, Jofre Cabral e Silva em 1968, estreou no rubro negro do Paraná em 2 de setembro de 1968 no jogo contra o São Paulo Futebol Clube na Vila Capanema, onde marcou um gol de bicicleta. No Atlético, jogou ao lado de Bellini, Djalma Santos, Nilson Borges e Dorval e tornou-se ídolo da torcida, ostentando até hoje a marca de maior goleador do clube, com 154 gols marcados. Sicupira foi o artilheiro nos Campeonatos Paranaenses de 1970 e 1972, mas em 1972, quando o clube não participou do Campeonato Brasileiro, foi emprestado para o Sport Club Corinthians Paulista. Ao fim do brasileirão, Sicupira retornou ao Clube Atlético Paranaense, onde jogou ate a sua aposentadoria, em 1975, aos 31 anos de idade.

O primeiro turno do Paranaense de 2019 leva o nome de Barcímio Sicupira, maior artilheiro da história do Atlético, com 158 gols marcados.