O atleticano é diferente de qualquer outro torcedor
É diferente, pois não se restringe a ser
Somente torcedor
Ser atleticano é como casamento
Na saúde e na doença
Nas alegrias e nas tristezas
Mesmo quando a doença parece não ir
E as tristezas teimam em permanecer
O atleticano é capaz de
Após uma derrota humilhante
Pegar a camisa no armário
E sair às ruas
Mesmo sendo alvo de piadas
Isso por que o atleticano não torce por um time
Torce por uma nação
E tal qual em uma guerra
Um cidadão não renega um país
Mesmo que a derrota seja grande
O atleticano apóia seu time na derrota
Pois os obstáculos engrandecem
Seu sentimento de nacionalismo
E que me perdoem os que têm apenas títulos
Claro que são importantes
Mas o atleticano tem algo que os outros nunca terão
Tem paixão!

O Athletico não brilhou, mas ganhou mais uma. O time comandado por Rafael Guanaes venceu por 2 a 1, garantiu a classificação à semifinal da Taça Dirceu Krüger – o segundo turno do Campeonato Paranaense – e afundou de vez o Foz do Iguaçu. O volante Léo Cittadini e o meia Marquinho marcaram os gols do Furacão; o atacante Mateus Guerreiro balançou as redes para o Foz. Enquanto o Athletico está classificado, a equipe da fronteira precisa de um milagre para não cair. O rebaixamento pode ser selado com um ponto do Londrina neste domingo.

O Athletico venceu o Operário-PR por 3 a 0, garantiu a permanência na liderança e derrubou o Fantasma para a quarta posição. O zagueiro Lucas Halter e o meia Marquinho (duas vezes) marcaram os gols na noite desta quarta-feira, na Arena da Baixada. Com isso, o Furacão – que já tinha feito 8 a 2 no Toledo e 4 a 0 no Maringá – manteve o embalo e ficou mais perto da classificação para a semifinal do segundo turno.

Veja os gols

Eu não lembro a data exata, quem quiser pode me ajudar, mas foi em 1999. Seletiva para a Libertadores, primeiro jogo da decisão, o Atlético enfrentava o Cruzeiro na Arena. Lucas tinha prestígio no clube, lá fora ninguém dava muito importância a ele.

O garoto surpreendeu. Marcou o primeiro, o segundo e o terceiro gols do Rubro-Negro numa tarde de sábado contra o Cruzeiro. Resultado que deixou o time paranaense mais perto da vaga inédita no torneio continental.

Mas, os nossos amigos internautas socorreram minha memória falha. O “Eu sou o Lucas” vem de antes. Aconteceu antes da partida contra o Flamengo. Perguntaram ao goleiro Clêmer se ele estava preocupado com o Lucas. O goleirão do Mengão teria dito:-“Quem é Lucas?”. Lucas, então, respondeu com gols ao questionamento de Clêmer. Aí foi nas câmeras e disse quem era o Lucas.Obrigado a todos que me ajudaram.

Depois da conquista da seletiva, o atacante foi negociado. Japão, Corinthians e até no Cruzeiro ele jogou. Porém, não teve o mesmo brilho.

Voltou ao Furacão 12 anos depois, com 31 anos, com a confiança de “quase todos”, como ele próprio disse em entrevista. É um começo, ou um recomeço, mas Lucas mostrou contra o Iraty que ainda sabe fazer o que mais a torcida do Atlético mais espera dele: gols.

Desde 2016, o Athletico Paranaense possui uma importante parceria com o Orlando City SC, dos Estados Unidos. Além do intercâmbio de jogadores, a parceria entre os clubes tem outras finalidades, como a troca de expertise em diversas áreas. Em 2017, o zagueiro Léo Pereira defendeu a equipe norte-americana na Major League Soccer (MLS).

Desta vez, um atleta do Orlando City desembarca no CAT Alfredo Gottardi. O atacante Pierre da Silva, de 20 anos, assinou contrato com o Furacão e ficará até o final da temporada em Curitiba. Inicialmente, o jogador integrará a equipe de Aspirantes do CAP.

Pierre é filho de pai brasileiro e mãe peruana, mas nasceu nos Estados Unidos. Natural de Westchester, no estado de Nova York, o jogador defendeu a Seleção Norte Americana na Copa do Mundo Sub-17, em 2015. No ano seguinte, foi para o Orlando City. Após se destacar na equipe B, foi promovido ao time principal. Além do Orlando, Pierre defendeu o Saint Louis, também nos Estados Unidos, e atuou nas Categorias de Formação do Santos.

Fonte: Site Oficial Athletico-PR

Comandado por Bergson, o Athletico venceu o Maringá por 4 a 0 na tarde deste domingo, no Estádio Willie Davids, pela segunda rodada da Taça Dirceu Krüger – o segundo turno do Campeonato Paranaense. O lateral-esquerdo Prego (contra), o atacante Bergson (duas vezes) e o meia Matheus Anjos marcaram os gols. Com isso, o time de Rafael Guanaes chegou aos 100% e manteve a liderança.

Dois jogos e nada menos do que 12 gols. O dobro do que o Athletico fez nos seis jogos da primeira fase do Campeonato Paranaense. O Athletico realmente está vivendo um novo momento no Estadual. O atacante Bergson, que nos últimos dias teve o interesse do Avaí noticiado na imprensa catarinense, foi o cara do jogo. Marcou mais duas vezes, participou de outros dois e comemorou a volta da boa fase com a camisa do Furacão neste começo de segundo turno.

Sem tempo para pensar, o Athletico atacou o Jorge Wilstermann, nesta quinta, pela Libertadores, até conseguir a vitória de 4 a 0 na Arena da Baixada, pela segunda rodada. O time de Tiago Nunes pressionou desde o primeiro minuto, não deixava os bolivianos darem dois toques em paz e acumulava chances, algumas desperdiçadas, outras com boas atuações do goleiro Giménez. De tanto tentar, os gols saíram: Marco Ruben e Tomás Andrade fizeram no primeiro tempo. Logo no começo do segundo tempo foi a vez de Renan Lodi marcar, o jogo perdeu o ritmo, mas Bruno Guimarães ainda fez o seu no fim.

Veja os melhores momentos da goleada do Athletico-PR

Exatamente três meses depois, o time principal do Athletico vai reencontrar o torcedor para fazer a primeira partida oficial na temporada de 2019 na Arena da Baixada. Nesta quinta-feira (14), às 21h, o Furacão vai tentar a primeira vitória na Libertadores diante do Jorge Wilstermann, da Bolìvia, e precisa da vitória para não começar a se complicar no torneio internacional. Será também a volta do clube ao principal torneio da América do Sul jogando no caldeirão depois de dois anos, sendo o 50º jogo do clube na competição.

O duelo diante dos bolivianos é fundamental para as pretensões do Rubro-Negro na Libertadores. A vitória é fundamental e o duelo traz muita expectativa por marcar esse reencontro do time com a torcida. O último encontro marcou a conquista do título da Copa Sul-Americana contra o Junior Barranquilla, da Colômbia, no dia 13 de dezembro.